JF Diorio/Estadão
JF Diorio/Estadão

GP de São Paulo de Fórmula 1 terá combustível de fontes renováveis e redução do uso de plástico

Evento será o primeiro ecologicamente sustentável no Brasil; corrida acontece neste domingo no Autódromo de Interlagos

Redação, Estadão Conteúdo

10 de novembro de 2021 | 11h46

Um dos maiores eventos esportivos do planeta, a Fórmula 1 resolveu adorar medidas para preservar a natureza e o Grande Prêmio de São Paulo deste fim de semana, entre sexta-feira e domingo, no autódromo de Interlagos, será o primeiro ecologicamente sustentável no Brasil. Ações de sustentabilidade estão entre as prioridades da Federação Internacional de Automobilismo (FIA) e algumas providências já vinham sendo tomadas em outras corridas da temporada, com adoção de combustível de fontes renováveis e uma enérgica redução do uso de plástico, além da compensação do carbono.

Os campeões mundiais Sebastian Vettel e Lewis Hamilton estão envolvidos nas campanhas de conscientização sobre o meio ambiente que serão implantadas pela Fórmula 1 também no País neste fim de semana e vão se estender para os próximos anos.

Compensação de carbono, compostagem, água em embalagem tipo tetrapak e programa estruturado de coleta fazem parte das mudanças que a organização do GP de São Paulo vai aplicar na corrida. "Desde que começamos a planejar a corrida deste ano, a ideia de um evento ecologicamente sustentável sempre esteve presente. Isso deverá avançar mais a cada ano. Mas já estamos dando um grande passo", afirmou o CEO do GP de São Paulo, Alan Adler.

Pela primeira vez em Interlagos haverá a compensação de 100% das emissões de carbono em uma operação ligada à preservação da floresta amazônica. Um equipamento de tecnologia será instalado na área central do autódromo para transformar os resíduos orgânicos gerados pelos restaurantes e pontos de alimentação em adubo, por exemplo. "Ficamos muito honrados com a escolha para desempenhar essa função e esperamos que outras empresas sigam essa boa prática ambiental’, disse o diretor da Sauber Sustentabilidade, Antonio Barbosa, empresa que fará o serviço.

A redução do consumo de diesel para geradores faz parte da estratégia de sustentabilidade. A economia será de aproximadamente 20 mil litros em relação à corrida de dois anos atrás. Uma grande operação de coleta estará encarregada de recolher plástico, alumínio e papel na estrutura de Interlagos e seu entorno. A expectativa é de reciclagem de 40 toneladas após o evento.

Todas as embalagens das garrafas de água comercializadas durante o GP serão sustentáveis, do tipo TetraPak. E os cerca de 7500 pneus retirados das barreiras de proteção serão transformados em pisos ou ligas para asfalto. Além de prometer bela batalha entre Max Verstappen e Lewis Hamilton na pista, a Fórmula 1 ainda vai mostrar sua preocupação com o planeta.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.