Grupo Lotus acredita na motivação de Raikkonen na volta à Fórmula 1

O presidente da empresa, Danny Bahar, cobrou concentração do campeão e espera que ele faça o que puder para conseguir somar pontos

AE, Agência Estado

09 de dezembro de 2011 | 13h08

O presidente do Grupo Lotus aprovou a contratação de Kimi Raikkonen pela Renault, que assumirá o nome da Lotus a partir do próximo ano, para a próxima temporada da Fórmula 1 e garantiu não temer que o finlandês esteja desmotivado. Danny Bahar, porém, cobrou concentração do campeão da temporada 2007 da principal categoria do automobilismo mundial.

"Como acontece com qualquer um, nós trabalhamos dentro e fora da pista, e esperamos que ele faça o seu melhor. Eu realmente espero que ele assuma seu compromisso com muita seriedade e faça tudo o que puder para trazer pontos. Pelo que sei de experiências anteriores de Kimi, ele é um piloto dedicado e que quer resultados. Ele tomou a decisão de voltar à Fórmula 1 e quer resultados", disse, em entrevista ao site oficial da Fórmula 1.

Para Bahar, Raikkonen também será um bom divulgador da marca Lotus na Fórmula 1. Mas ele espera que o carro da equipe seja competitivo em 2012. "Kimi será um grande embaixador da nossa marca. Seu espírito de luta e a natureza competitiva são uma ótima combinação. Agora só temos que esperar que seu desempenho esteja de acordo com a capacidade do carro", afirmou.

Raikkonen ficou fora das últimas duas temporadas da Fórmula 1, quando disputou o Mundial de Rali após sair da Ferrari. Na escuderia italiana, o finlandês foi campeão em 2007, mas nos anos seguintes foi criticado por uma suposta falta de motivação. Na próxima temporada, ele terá o francês Romain Grosjean, que foi anunciado nesta sexta-feira, como companheiro de equipe.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.