Roland Weihrauch/EFE
Roland Weihrauch/EFE

Grupo Virgin fecha patrocínio de US$ 15 milhões com a Brawn

SÃO PAULO - Depois de muita especulação e reviravoltas, o britânico Grupo Virgin, do bilionário Richard Branson, anunciou neste sábado em Melbourne, na Austrália, sua entrada na Fórmula 1: como patrocinador da Brawn GP, a equipe que assumiu o lugar da Honda, e que não tinha nenhum anunciante em seu carro até então.

Redação

28 de março de 2009 | 02h37

Veja também:

especialESPECIAL: Conheça os pilotos e equipes da F-1 2009

especialConfira o calendário (com horários) da temporada 2009

video TV ESTADÃO: O que esperar do começo da disputa?

especialEspecial: jogue o Desafio dos Pilotos

Branson disse numa entrevista no circuito de Albert Park que só assinou o contrato cerca de quatro horas antes de entrar no avião rumo à Austrália e que pretende usar a equipe de Fórmula 1 para promover uma revolução mundial em combustíveis verdes, menos poluentes que muitos dos atuais derivados do petróleo, por exemplo.

A Brawn GP já compete a partir deste sábado com o novo anunciante em seus carros brancos. Estima-se que o investimento da empresa britânica seja de US$ 15 milhões (R$ 34 milhões) nesta temporada.

Mais conteúdo sobre:
Fórmula 1Brawn GPGrupo Virgin

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.