Francois Lenoir/Reuters
Francois Lenoir/Reuters

Haas perde recurso e F-1 mantém desclassificação de Grosjean na Itália

Piloto que foi desclassificado terminaria em 6º se não fossem as reclamações da Renault de supostas irregularidades no assoalho de seu carro

Estadão Conteúdo

02 Novembro 2018 | 09h54

A meta da equipe Haas de terminar o Mundial de Construtores da Fórmula 1 na quarta colocação foi parcialmente frustrada nesta sexta-feira. O time norte-americano teve negado recurso para reaver os pontos conquistados pelo piloto francês Romain Grosjean no GP da Itália, disputado em setembro. Sem recuperar a pontuação, o time caiu para o quinto lugar geral.

Grosjean terminara aquela corrida na sexta colocação, somando bons pontos para a sua equipe. Mas, ao fim da prova, a Renault fez reclamações a respeito de supostas irregularidades no assoalho do carro do francês. E as queixas foram acatadas pelos comissários da prova, que decidiram desclassificar o piloto da Haas.

O time americano não aceitou a decisão e recorreu à Corte Internacional de Apelação da Federação Internacional de Automobilismo (FIA). A entidade julgou o recurso e decidiu por rejeitá-lo, nesta sexta, em Paris. Desta forma, a Haas voltou a ocupar o quinto lugar geral, logo atrás da Renault, sua rival direta nesta reta final da temporada.

"Nós obviamente estamos decepcionados por não ter obtido o recurso", afirmou o chefe da Haas, Günther Steiner. "Nós simplesmente vamos seguir em frente e focar nas últimas duas corridas do ano para continuarmos nossa luta na pista, em busca de mais pontos, para terminarmos nossa melhor temporada até agora na Fórmula 1."

A penúltima etapa da temporada será disputada em solo brasileiro, no Autódromo de Interlagos, em São Paulo, na próxima semana. A corrida está marcada para o dia 11. Na sequência, o campeonato será encerrado com o GP de Abu Dabi, no dia 25.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.