Luca Bruno/AP
Luca Bruno/AP

Hamilton admite sorte na vitória e Bottas diz que beberá cerveja para esquecer

Tetracampeão era o 3º a quatro voltas do fim, mas contou com problemas de Vettel e do companheiro de time

Estadão Conteúdo

29 de abril de 2018 | 16h58

O britânico Lewis Hamilton admitiu neste domingo que precisou de muita sorte para vencer o GP do Azerbaijão e alcançar a primeira vitória na atual temporada da Fórmula 1. Já seu companheiro de Mercedes, o finlandês Valtteri Bottas informou que 'tomará muita cerveja' para esquecer o insucesso neste Grande Prêmio.

Vettel erra, Bottas perde pneu no fim e Hamilton vence no Azerbaijão

Chefe da Red Bull repreende Ricciardo e Verstappen após batida em Baku

+ Mais notícias de esportes a motor

Na corrida com mais reviravoltas de 2018, Hamilton era apenas o terceiro a quatro voltas do fim, mas uma falha do alemão Sebastian Vettel, da Ferrari, e um pneu furado de Bottas o colocou na primeira colocação no circuito de rua de Baku.

"Foi uma corrida realmente emocionante. O Valtteri fez um trabalho tão excepcional e mereceu a vitória, Sebastian também fez um ótimo trabalho. Parece estranho estar aqui em cima, mas eu tenho que comemorar. Eu não desisti, continuei pressionando até o final. Sinto-me incrivelmente agradecido pela vitória. Você tem que pegar os altos com os baixos. Eu não posso reclamar que ganhei", disse Hamilton.

Bottas não tinha muito o que falar. "Talvez depois de dez canecas de cerveja esteja tudo bem", ironizou. "Você sempre precisa tentar superar as dificuldades, faz parte da corrida, mas neste momento é muito doloroso", prosseguiu.

Com a vitória, o britânico assumiu a primeira colocação do Mundial de Pilotos. Ele chegou aos 70 pontos, apenas quatro a mais que Vettel. O finlandês Kimi Raikkonen é o terceiro colocado, com 48, seguido por Bottas, com 40.

"O Valtteri deu muito azar", prosseguiu Hamilton. "Não conseguiria chegar nele até o final. Logo que deixei o carro, foi conversar com ele e parabenizá-lo pelo grande trabalho, por isso demorei a chegar no pódio", completou o britânico.

Hamilton também reconheceu que a Ferrari segue com um carro superior do que os demais. "Eles tem demonstrado uma melhor performance do que a gente o tempo todo. Nosso ritmo no classificatório não está no mesmo nível deles. Por isso precisamos ainda de muito trabalho".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.