Yuri Kochetkov/Pool Photo via AP
Yuri Kochetkov/Pool Photo via AP

Hamilton afirma sonho de pilotar pela Ferrari, mas admite frustração: 'Nunca foi possível'

Em entrevista para a TV italiana Sky Sports, piloto inglês admitiu que atuar pela equipe italiana seria um objetivo a ser alcançado

Redação, Estadão Conteúdo

28 de setembro de 2021 | 18h26

Sete vezes campeão do mundo, cem vitórias conquistadas na carreira e atual líder do campeonato mundial após a vitória no GP da Rússia, no último domingo, 26. Mesmo com uma trajetória vencedora, que o credencia como um dos maiores pilotos da história Fórmula 1, Lewis Hamilton não esconde o desejo de dirigir para a Ferrari. Em entrevista à Sky Sports Italia, o piloto britânico revelou que pilotar pela escuderia italiana é um “sonho para todos e um objetivo a ser alcançado”.

“Vou a Monza e ouço os fãs me pedindo ‘venha para a Ferrari’. Isso aquece meu coração, mas é incrível como depois de tantos anos, eu nunca pilotei para a Ferrari. Porque é um sonho para todos, um objetivo a ser atingido”, afirmou Lewis Hamilton que, atualmente, é piloto da Mercedes, por onde atua desde 2013 e tem contrato até o fim da temporada de 2023.

As previsões, contudo, nunca se concretizaram. E o próprio Hamilton não sabe explicar os motivos: “Nunca foi possível e jamais vou saber o porquê”, disse o piloto britânico. Neste ano, ele chegou a afirmar que “as posições nunca se alinharam” o suficiente para chegar a um acordo definitivo que o fizesse dirigir pela Ferrari. 

Por tradição, a marca italiana é conhecida por assinar com pilotos no auge da carreira, como aconteceu com Michael Schumacher, Kimi Räikkönen, Fernando Alonso e Sebastian Vettel. Com Hamilton, porém, foi diferente. Em 2019, o inglês até chegou a se encontrar com o presidente da Ferrari, John Elkan, e seu nome chegou a ser cogitado para compor a equipe em 2021. Mesmo assim, não houve acordo. 

Uma das possíveis explicações é a de que a Ferrari, depois da saída de Sebastian Vettel, passou a escolher pilotos mais jovens para a sua equipe, o que esbarraria na idade de 36 anos de Hamilton. Em maio do ano passado, Carlos Sainz Jr., de 27 anos, foi anunciado como o piloto para formar a dupla como Charles Leclerc, de 23. 

Ainda para a Sky Sports, Lewis afirmou que, para ele, a equipe italiana é apenas como rival. “Desejo o melhor para eles e no futuro próximo preciso apenas evitar que eles ganhem o campeonato”, disse o piloto, que ainda brincou: “Tenho algumas Ferraris em casa para dirigir, mas não a da Fórmula 1”.

Lewis Hamilton lidera o campeonato mundial, com 246,5 pontos, seguido do holandês Max Verstappen, da Red Bull Racing, com 244,5.  Os pilotos voltam à pista no próximo dia 10 de outubro, no GP da Turquia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.