Francisco Seco/AP
Francisco Seco/AP

Hamilton aposta na estratégia para superar Verstappen e crê em início 'divertido'

Heptacampeão da categoria, britânico ficou com o segundo lugar no grid de largada para o GP da Holanda por apenas 38 milésimos

Redação, Estadão Conteúdo

04 de setembro de 2021 | 14h08

Ficar apenas 0s038 atrás de Max Verstappen no treino classificatório para o GP da Holanda deixou o inglês Lewis Hamilton confiante em superar o piloto da Red Bull e manter a liderança do Mundial de Fórmula 1. Ele aposta num início "divertido" de prova em Zandvoort. A Mercedes vai tentar ganhar na "estratégia."

"Sem dúvida, vai ser difícil amanhã", reconheceu Hamilton após a qualificação. "Acho que Max e sua equipe foram mais rápidos do que nós no longo prazo, não é uma pista que você pode ultrapassar, então terá de ser na estratégia amanhã e como você pode utilizar os pneus", revelou a estratégia, Hamilton.

"A volta (melhor da classificação), particularmente o segundo e terceiro setores, foram realmente no limite. Não havia pista sobrando e fiquei muito, muito feliz com isso. É ótimo termos conseguido chegar tão perto porque, obviamente, eles avançaram bastante em um ponto no ritmo. Mas ainda acho que se tivéssemos outra sessão, todos iríamos mais rápido e acho que teria mais tempo para buscar."

A ideia da Mercedes é "buscar" a ultrapassagem na largada ou tentar andar colada em Verstappen para "vencer" a Red Bull não boxes. "O início será divertido", prevê o inglês, confiante na manutenção da liderança.

São somente três pontos de vantagem na liderança, o que obriga Hamilton a não ficar atrás de Verstappen pela manutenção da primeira colocação. A estratégia de troca de pneus será de "enganar" a equipe rival sobre uma ou duas trocas.

"Acho que, se conseguirmos ter o mesmo ritmo na corrida, e optarmos por um pit stop, Max precisa tomar uma decisão: ele vai para um pit stop ou vai para duas paradas? E acho que podemos jogar as duas estratégias amanhã, então você tem dois carros que podem ser totalmente diferentes."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.