EFE/Will Oliver
EFE/Will Oliver

Hamilton aprova novo carro e se diz ansioso por parceria com Bottas na Mercedes

Tricampeão mundial se mostra empolgado com as novidades do veículo

O Estado de S.Paulo

23 Fevereiro 2017 | 16h18

Depois de ser vice-campeão no ano passado, o inglês Lewis Hamilton voltou a pilotar o carro da Mercedes nesta quinta-feira. No lançamento do novo modelo da equipe, o W08, o piloto fez uma volta de demonstração no tradicional Circuito de Silverstone, na Inglaterra. E ficou satisfeito com o monoposto, alvo de diversas mudanças, em razão do novo regulamento técnico da Fórmula 1.

"É a peça de maquinaria mais trabalhada que já vi na Fórmula 1", elogiou o tricampeão mundial. Empolgado com o carro, que tem pneus mais largos e deve ser até quatro segundos mais veloz que o modelo anterior, Hamilton disse estar preparado para pilotar o carro que já entra como favorito no Mundial deste ano.

"Sinto que estou mais forte, me sinto mais completo como piloto. Sinto que nunca estive tão preparado na minha vida. Eu não venci o campeonato no ano passado e eu quero mudar isso neste ano", disse o piloto de 32 anos, já mandando um recado para o seu novo parceiro na Mercedes, o finlandês Valtteri Bottas.

Hamilton terá novo parceiro nesta temporada porque o alemão Nico Rosberg surpreendeu no fim do ano ao anunciar sua aposentadoria, apenas cinco dias depois de se sagrar campeão da F-1 pela primeira vez na carreira, agora finalizada. Para o lugar de Rosberg, a Mercedes contratou Bottas, ex-parceiro do brasileiro Felipe Massa, na Williams.

Diante desta mudança, Hamilton se mostra curioso para saber como será correr com o novo parceiro. "Novas ideias e novo sangue é sempre algo bom, e as ideias e a energia de Valtteri vão acrescentar e muito na grande fundação que é a nossa equipe", afirmou o inglês.

Vindo de um forte histórico de rivalidade com Rosberg, o tricampeão evitou fazer previsões sobre como será correr com o novo parceiro. "Eu não conheço Valtteri muito bem, mas sempre tivemos conversas muito agradáveis. Neste momento não há competição entre nós, apenas conversas de gentleman, o que é muito legal."

"Mas, quando ele me ver num momento mais intenso e vice-versa, teremos um cenário interessante para nós dois. E isso vamos descobrir aos poucos um com o outro, com nossas fraquezas e nossos pontos fortes", comentou Hamilton.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.