Diego Azubel/EFE
Diego Azubel/EFE

Hamilton celebra pole, mas elogia Ferrari e espera 'dia incomum' no GP da China

Piloto da Mercedes admite que escuderia italiana está em melhor momento mesmo com largada em primeiro em Xangai

Estadão Conteudo

08 de abril de 2017 | 09h54

O inglês Lewis Hamilton deixou os principais concorrentes para trás e cravou a pole position para o GP da China de Fórmula 1. Neste sábado, o piloto da Mercedes arrancou no Q3 do treino de classificação e marcou o tempo de 1min31s678 para garantir a primeira colocação no grid de domingo.

"Sabíamos que seria disputado e que teríamos que fazer uma volta muito, muito perfeita, muito sólida. Então, consegui mudar o pensamento de uma sessão do treino para a outra. Não tive maiores problemas e na última volta, consegui meu melhor tempo, o que é sempre o plano", celebrou.

Esta será a segunda vez na temporada que Hamilton largará na frente, em duas provas disputadas, sendo que na primeira o piloto inglês foi superado por seu principal rival neste início de trajetória. Há duas semanas, no GP da Austrália, Sebastian Vettel se beneficiou da estratégia da Ferrari e levou a melhor.

Até por isso, Hamilton evitou comemorar demais neste sábado e alertou para a qualidade da Ferrari. "Acho que a Ferrari tem um carro muito, muito forte, particularmente um passo à frente no ajuste para a corrida e no tratamento aos pneus. Então, será interessante ver o que acontecerá amanhã."

O piloto da Mercedes ainda destacou que as condições climáticas estão instáveis e podem mudar completamente as previsões para a prova deste domingo. Na sexta-feira, a intensa neblina sobre Xangai interrompeu o primeiro treino livre do dia e impediu que o segundo fosse realizado. Neste sábado, contudo, a classificação para a prova foi definida sem problemas.

"Amanhã será um dia incomum. Ouvi que a pista provavelmente estará molhada no começo da prova, e ainda não pilotei com os pneus para pista molhada nesta temporada. Então, será divertido experimentar isto neste novo carro", considerou.

Hamilton ainda celebrou o fato de ter ficado mais próximo de seu maior ídolo em números de poles conquistadas na Fórmula 1. Esta será a 63.ª vez que o piloto largará na frente, somente duas atrás do brasileiro Ayrton Senna. O recordista é o alemão Michael Schumacher, com 68.

"Agora, estou mais empolgado porque estou me aproximando do Ayrton. Ele teve muitas poles, com menos corridas. Sabemos que o que ele fez foi simplesmente fenomenal, o mesmo vale para o Michael. Então, estou apenas grato por estar entre eles", comentou.

Tudo o que sabemos sobre:
VelocidadeFórmula 1Lewis Hamilton

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.