Glenn Nichoills/AFP
Glenn Nichoills/AFP

Hamilton celebra recorde e pole na Austrália: 'Uma das minhas melhores voltas'

Atual campeão, piloto afirma 'estar mais perto possível da perfeição' ao cravar volta mais rápida da história do circuito

Estadão Conteúdo

24 Março 2018 | 09h42

Campeão em 2017, Lewis Hamilton não poderia pedir um melhor início de temporada da Fórmula 1 em 2018. Neste sábado, ele voltou a ficar na frente ao conquistar a pole position para o GP da Austrália, etapa que abre o calendário da categoria no domingo, e, de quebra, estabeleceu o novo recorde do circuito em Melbourne, ao cravar 1min21s164.

Sem pilotos, Brasil terá representantes nos bastidores da Fórmula 1

Destaque nos treinos livres, Verstappen torce por chuva no GP da Austrália

Confira mais notícias de esportes a motor

"Foi uma das minhas melhores voltas. Com os resultados que tivemos, você pode pensar que este é o normal, mas é extremamente intenso. Meu coração está correndo. Eu sempre piloto buscando a perfeição e este foi o mais perto dela que pude chegar. Eu estava focado em manter os pneus e garantir a temperatura certa", declarou.

Esta foi a sétima vez que Hamilton alcançou a pole na Austrália - a quinta seguida -, quebrando o recorde que era de Ayrton Senna. Apesar do bom retrospecto em Melbourne, o piloto inglês garantiu que ainda nem pensou na prova de domingo, tamanho o foco dele no treino classificatório.

"É uma ótima sensação quando você consegue exercer seu potencial e buscar uma volta como a que eu tive. Eu nem sempre consigo fazer isso, mas fiquei realmente feliz com o desempenho de hoje. Até este momento, não pensei nada sobre a corrida. Então, esta noite e amanhã de manhã, começarei a focar nisso", comentou.

Hamilton só espera que não se repita o cenário de 2017, quando largou na frente, mas acabou na segunda colocação, atrás de Sebastian Vettel. "Na temporada passada, a Ferrari fez um melhor trabalho no domingo. Mas nós geralmente aprendemos com erros e situações assim. Então, espero que estejamos mais preparados para amanhã."

Se Hamilton brilhou, seu companheiro de Mercedes não teve motivos para comemorar. O finlandês Valtteri Bottas ficou com a décima colocação após sofrer um acidente no Q3. Ele perdeu o controle do carro na curva 2, saiu da pista e se chocou fortemente contra o muro. Mesmo com a violência da batida, deixou o carro caminhando.

"Acho que forcei demais. Abri muito na curva 1, perdi a traseira do carro e bati na parede na curva 2. Foi uma pena e sinto muito pela equipe, porque tínhamos um carro realmente competitivo. Parece que o estrago foi bem feio, então, espero que possamos consertar para a corrida", disse Bottas.

Mais conteúdo sobre:
Fórmula 1 Lewis Hamilton Mercedes-Benz

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.