Sylvain Thomas/AFP
Sylvain Thomas/AFP

Hamilton comemora 4º lugar, mas cita rivais: 'Estão em uma classe diferente'

O ex-campeão fica atrás somente de Charles Leclerc, Max Verstappen e Sérgio Pérez no grid do GP da França

Redação, Estadão Conteúdo

23 de julho de 2022 | 14h18

Ainda sem ter um carro que o faça competir com a Red Bull e a Ferrari, Lewis Hamilton mostrou estar satisfeito com o 4º lugar no grid do GP da França, conquistado na manhã deste sábado. No entanto, o britânico aproveitou para cutucar a Mercedes ao afirmar que seu carro não se compara com seus principais rivais.

"Na verdade, estou muito feliz, quero dizer, é claro, quero estar na frente, mas, realisticamente, não estamos em um lugar ruim aqui. Eles (Ferrari e Red Bull) estão em uma classe diferente. Os carros não são nem comparáveis, então estou muito feliz com o que conquistamos e com minhas voltas", disse Hamilton.

Lewis Hamilton cravou o tempo de 1min31s765, atrás somente de Charles Leclerc, Max Verstappen e Sérgio Pérez.

"Acho que eles são muito rápidos para ser honesto, mas espero que de alguma forma eu possa lutar com Perez, mas vamos ver. É estranho, porque em outros lugares, como Silverstone, nós estávamos bem, então é difícil explicar, talvez eles tenham dado um grande passo à frente. Eles estão em uma liga diferente em termos de desempenho, mas ainda posso obter um bom começo e espero poder lutar amanhã", explicou.

Hamilton deu a entender que o carro deu um passo atrás em suas atualizações no GP da França. "Não trouxemos muitas atualizações aqui. Por alguma razão, é um circuito longo e neste fim de semana estamos tão longe do que antes, então precisamos entender se demos um passo à frente ou atrás. Difícil saber", finalizou.

Hamilton completará neste domingo a sua 300ª corrida na Fórmula 1. O britânico é dono de muitos recordes da categoria, com 103 triunfos, 103 poles e 186 pódios, além dos sete títulos mundiais conquistados.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.