John Thys/ AFP
John Thys/ AFP

Hamilton celebra 10ª pole, mas afirma que na prova tudo é diferente

Para inglês, cinco primeiras curvas representem perigo real

Estadão Conteúdo

22 Agosto 2015 | 15h28

O piloto inglês Lewis Hamilton comemorou muito neste sábado a pole position para o Grande Prêmio da Bélgica de Fórmula 1, cuja prova acontece neste domingo, a partir das 9h (de Brasília). O bicampeão mundial também mostrou consciência diante das expectativas com relação à corrida, afirmando que as cinco primeiras curvas representam um perigo real para sua vitória na prova.

"Estou muito feliz com a performance do carro", comemorou o líder do campeonato. "A sensação é ótima. Estou muito feliz com o desempenho de hoje (sábado), a pole era a meta do dia. Nico estava muito próximo e minhas duas voltas foram as melhores que fiz em todo o final de semana. Sabemos que a corrida é bem diferente, é outra coisa, e temos de trabalhar para ficarmos em primeiro após a curva 5", ressaltou o inglês.

Hamilton, que perdeu a primeira posição nos metros iniciais das últimas três provas por causa de largadas ruins, está confiante de que o mesmo não acontecerá neste domingo, quando estreia um procedimento de largada que impede a interferência dos engenheiros.

"A equipe fez muitas análises e estivemos na fábrica treinando. Estamos o mais preparados possíveis e nos sentimos relativamente confortáveis. Será o mesmo para todos e espero que o novo procedimento traga largadas emocionantes para as corridas."

NICO PROMETE LARGADA AGRESSIVA

O alemão Nico Rosberg, que larga em segunda no grid, também nutre uma boa a expectativa pela estreia do novo procedimento de largada e pelas características da pista de Spa-Francorchamps. Estes fatores enchem o vice-líder, que está a 21 pontos de Hamilton na tabela, de esperança para que ele possa reverter o quadro na corrida.

"É desapontador. Eu me perdi um pouco na última sessão de treinos livres, mas depois conseguimos voltar ao melhor acerto e tenho de agradecer a equipe por isso. O carro estava muito bem equilibrado mas, no final, Lewis estava mais rápido e eu não tinha aqueles décimos extras no meu bolso para batê-lo", reconheceu o alemão.

"Com a nova largada e com o fato que temos de fazer tudo sozinhos agora, há muitas oportunidades até a freada da curva 5. Aqui há muitas chances de ultrapassar e ainda terei a possibilidade de ganhar. Vimos isso diversas vezes aqui, então minha esperança ainda é alta", completou Rosberg.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.