Matthew Childs/Reuters
Matthew Childs/Reuters

Hamilton comemora safety car em 'momento perfeito' para a vitória em Silverstone

Atual campeão da Fórmula 1 considerou que momento foi decisivo para a conquista da sua 80ª vitória na categoria

Redação, Estadao Conteudo

14 de julho de 2019 | 15h14

Lewis Hamilton reconheceu que teve sorte pela entrada do safety car em um "momento perfeito", o que acabou sendo decisivo para o seu triunfo - o 80º na carreira - no GP da Inglaterra deste domingo. O piloto britânico ressaltou ainda o recorde da sexta vitória em Silverstone, que o fez superar duas lendas do automobilismo, o escocês Jim Clark e o francês Alain Prost, cinco vezes laureados no circuito.

"Estar no mesmo patamar que esses dois, a quem admirava quando criança, é uma das coisas mais geniais", exultou Hamilton após a prova. "Hoje é um dos melhores dias de que me lembro. Recordo de minha primeira vitória aqui, em 2008. A mesma excitação, a mesma alegria", comentou o piloto da Mercedes, que agora alcança 39 pontos de vantagem na liderança do Mundial de Pilotos sobre o colega de equipe, Valtteri Bottas.

São sete vitórias do pentacampeão mundial em dez provas na temporada até o momento, sendo nove da equipe alemã, que completou sua sétima dobradinha este ano. "Talvez não tenha sido o melhor dos dias, mas assim é a vida", lamentou o finlandês na saída do pódio, no qual subiu ao segundo lugar.

A vitória escapou de Bottas devido à estratégia errada de apostar em pneus macios na primeira parada, o que o fez perder a liderança, posição em que largou na prova, para o colega de escuderia, que só foi aos boxes uma vez. Depois de assumir a ponta com a entrada do safety car, com compostos mais duros, Hamilton evitou nova troca, abrindo 25 segundos sobre o oponente e rumando para o recorde de seis triunfos em casa.

Sorte semelhante teve Charles Leclerc, da Ferrari, que herdou o terceiro lugar na corrida do holandês Max Verstappen, da Red Bull. O holandês teve seu carro acertado em cheio pela Ferrari do alemão Sebastian Vettel na 38ª volta.

"Foi um erro meu", reconheceu Vettel. "Ele (Verstappen) me ultrapassou e abriu um pouco, o que me deu a oportunidade de me recuperar. Por um segundo, eu o vi virar à direita e haveria um espaço à esquerda, mas a lacuna não foi aberta e já era tarde demais", relatou o tedesco, que foi visto se desculpando com o holandês.

"Acho que ele poderia esperar que eu fechasse a porta, e, claramente, acabou errando na freada e travou as rodas, batendo na minha traseira. Mas ele já falou comigo, se desculpou. Não há mais nada a fazer", contou um resignado Verstappen.

Notícias relacionadas
    Tudo o que sabemos sobre:
    Fórmula 1Lewis Hamilton

    Encontrou algum erro? Entre em contato

    Tendências:

    O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.