Hamilton demonstra confiança na conquista do título da F-1

'Sinto-me totalmente confiante na equipe e na nossa capacidade de conquistar o título', afirma o inglês

Vítor Marques, Jornal da Tarde

18 de outubro de 2007 | 17h57

Ele pode se transformar, neste domingo, no primeiro estreante, e também no mais jovem, a conquistar o Mundial de Fórmula 1, no GP do Brasil, última prova da temporada. E seu principal rival é ninguém menos que o atual bicampeão do mundo. Mas Lewis Hamilton, o novato, fala como se fosse um veterano nas pistas. Ao ser questionado se está preparado para não ser o campeão, ele foi seco. "Não", afirmou nesta quinta-feira o piloto inglês da McLaren, na primeira entrevista coletiva em Interlagos, onde pelo terceiro ano consecutivo será decidido o campeonato.  Seu companheiro de escuderia, o espanhol Fernando Alonso, que defende o título, ouviu calado, sentado ao lado de Hamilton. "Sinto-me totalmente realizado e confiante na equipe e na nossa capacidade de conquistar o título", disse o inglês, que há apenas quatro anos disputava a Fórmula Renault britânica. Primeiro negro na categoria mais nobre do automobilismo mundial, Lewis Hamilton, de 22 anos, fará história na Fórmula 1 se terminar a corrida em segundo lugar, independentemente dos resultados de Alonso e de Kimi Räikkönen, da Ferrari, pilotos que ainda mantêm chances de conquistar o título. Hamilton, que só não pontuou em duas provas, lidera o campeonato com 107 pontos. É o piloto mais regular da temporada. Alonso, vice-líder, soma 103, e Räikkönen, 100. Tranqüilo e sorridente, Hamilton disse que está confiante na vitória em Interlagos e que superou o erro na etapa da China, há duas semanas, quando saiu da pista na entrada dos boxes e parou na caixa de brita. "Isso não me deixou mais nervoso", afirmou Hamilton. "Eu tirei essa pressão dos meus ombros e acho que essa situação me deixou mais forte. Eu me sinto mais confiante do que antes. Foi uma grande lição", acrescentou. Após a corrida na China, Hamilton disse que "esfriou a cabeça" com a família. "Planejamos uma pequena viagem. Eu tive tempo de relaxar na minha casa, algo que não faço muito", disse. "Relaxei durante a semana, mais do que antes da última corrida", afirmou o piloto, que poderia ter sido campeão na etapa chinesa. Preparado pela McLaren como piloto modelo, Hamilton mantém relação com  a escuderia inglesa há cerca de dez anos. Passou por todas as etapas antes da Fórmula 1. Em 2006 esteve na GP2, onde foi campeão nessa categoria que tem revelado talentos para a principal divisão do  automobilismo.  Hamilton, que costuma treinar em simuladores, disse que desta vez não encontrou tempo suficiente para utilizar a tecnologia para se familiarizar com Interlagos, mas que "conhece" a pista dos jogos de videogame. "O primeiro game de computador que eu joguei, a primeira corrida foi a do Brasil, e era uma das minhas favoritas", lembra Hamilton, que após a entrevista andou a pé pelo traçado da pista. O inglês também elogiou o clima da corrida no Brasil. "Interlagos é um dos circuitos de que todo mundo fala. Tem uma atmosfera fantástica, a torcida é apaixonada por automobilismo", disse. "É um circuito novo para mim e vou estudar com meus engenheiros para entendê-lo melhor."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.