Hamilton diz que não fez nada de perigoso no incidente com Alonso

'Sou um piloto e as pessoas querem ver competição', afirmou sobre ultrapassagem na Malásia

EFE

14 de abril de 2011 | 10h26

MADRI - O piloto inglês Lewis Hamilton (McLaren) disse nesta quinta-feira na China que no domingo passado, no GP da Malásia, não fez nenhuma manobra perigosa quando evitou que Fernando Alonso lhe passasse, em um incidente pelo qual ambos foram penalizados com 20 segundos.

 

Hamilton, que devido à sanção caiu do sétimo para o oitavo lugar, reconhece, no entanto, que a penalização é correta segundo o regulamento.

 

"Não acho que defendesse irregularmente minha posição. Sou um piloto e as pessoas querem ver competição, querem ver ultrapassagens, mas o que eu não faria em um milhão de anos é tentar pôr alguém ou eu mesmo em perigo", comentou Hamilton na entrevista coletiva, antes do Grande Prêmio da China.

 

"Sempre corri com o coração e sempre tomei decisões corretas quando tenho que correr ou me defender. Quando você se defende, tem que tentar tornar o carro o mais largo possível. A regra é que não se pode fazer mais que uma manobra de defesa, mas onde minha defesa foi excessiva foi na reta, onde ele (Alonso) estava a 10 ou 15 metros atrás de mim", acrescentou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.