Bryn Lennon/AFP
Bryn Lennon/AFP

Hamilton diz ser 'uma honra incrível' igualar recorde de vitórias de Schumacher

Ainda um pouco incrédulo, hexacampeão mundial afirmou que vai levar um tempo para se acostumar com a façanha

Redação, Estadão Conteúdo

11 de outubro de 2020 | 13h20

Lewis Hamilton escreveu, neste domingo, mais um capítulo de sua vitoriosa história. O britânico igualou o recorde de 91 vitórias de Michael Schumacher na Fórmula 1 ao ganhar o GP de Eifel, na Alemanha. Ainda um pouco incrédulo, o hexacampeão mundial afirmou que vai levar um tempo para se acostumar com a façanha e assegurou que, quando começou a correr, jamais imaginou estar no mesmo patamar que um de seus ídolos.

"Eu nem sei o que falar. Quero dizer, cresci assistindo e idolatrando Schumacher e o que ele foi capaz de fazer ano após ano, corrida na corrida, semana após semana, com sua equipe. Vendo Seu domínio por tanto tempo, eu acho que ninguém, especialmente eu, imaginava que estaria perto de Michael em termos de recordes e isso é uma honra incrível. Vai levar algum tempo para me acostumar com isso", observou o piloto da Mercedes, em entrevista após a vitória no circuito de Nurburgring, na Alemanha.

Em um bonito gesto, Mick Schumacher, filho do alemão heptacampeão de Fórmula 1, presenteou Hamilton com um dos capacetes do pai após a corrida. Os dois se cumprimentaram e o vídeo repercutiu muito nas redes sociais.

O hexacampeão mundial, que lidera o campeonato com ampla vantagem sobre os concorrentes - tem 230 pontos, contra 161 de Bottas, o vice-líder - revelou que demorou para ter a noção da façanha que realizou neste domingo. A ficha só começou a cair algum tempo depois de ele cruzar a linha de chegada na Alemanha.

"Honestamente, quando entrei no pit lane foi o único momento em que percebi que o igualava, eu nem tinha calculado assim que cruzei a linha de chegada", afirmou. "Eu não poderia ter feito isso sem essa equipe incrível, todos continuando a me apoiar e dando tudo de si. Portanto, um grande, muito obrigado e um grande respeito por Michael", disse.

Para conquistar o 91º triunfo na Fórmula 1, sete deles em 11 corridas nesta temporada, Hamilton contou com um erro do seu companheiro de Mercedes Valtteri Bottas, que depois abandonou a corrida por conta de um problema na unidade de potência de seu carro.

O britânico assumiu a ponta na primeira curva da 11ª volta, controlou a prova com tranquilidade e venceu categoricamente. O holandês Max Verstappen, da Red Bull, chegou em segundo, e o australiano Daniel Ricciardo, da Renault, fechou o pódio.

"Lembro-me de sair da curva pensando ‘bom para você, cara’, isso foi bom. Depois disso, eu só tive que me certificar de que segurava o Max (Verstappen) o máximo que podia. Eu cuidei bem dos meus pneus e pude ver ele estava tendo problemas com os deles", analisou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.