Sebastião Moreira/EFE
Sebastião Moreira/EFE

Hamilton diz viver melhor momento da carreira e nega relaxamento

Tetracampeão mundial promete manter empenho para GP do Brasil, mesmo depois de já ter o título garantido na Fórmula 1

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

08 Novembro 2017 | 12h54

Tetracampeão mundial de Fórmula 1, recordista de pole positions na categoria e com a equipe assegurada no título de construtores. O inglês Lewis Hamilton, da Mercedes, desembarcou tranquilo em São Paulo para o GP do Brasil, no próximo domingo, e nesta quarta-feira disse entrevista coletiva que por viver o melhor momento da carreira, não vai relaxar na disputa das duas corridas restantes.

+ Ferrari desembarca em baixa para prova no Brasil

+ INFOGRÁFICO: O guia da temporada 2017

 

Hamilton assegurou o título na etapa anterior, no México, e promete disputar as provas no Brasil e em Abu Dabi com o mesmo empenho. "É importante ganhar as duas últimas corridas. Não posso sentar em cima da glória. Continuo enfrentando os mesmos desafios. A Ferrari está bem, vai estar perto de nós. Tomara que não esteja tão quente", comentou o inglês durante entrevista coletiva promovida pela Petronas.

+ Force India terá jovem de 19 anos em 1º treino livre no GP do Brasil

+ Massa admite que queria correr mais um ano na F-1 pela Williams

O piloto de 32 anos comentou ter atingido neste ano uma maturidade e um equilíbrio emocional exemplar, capaz de ter lhe garantido além do título, chegar ao recorde de pole positions na categoria. "Ao longo da temporada eu busquei o equilíbrio, e acho que consigo. Consegui dosar o estilo entre ser agressivo, tomar riscos", comentou o inglês, vencedor de nove etapas neste ano.

O quarto título da carreira colocou Hamilton no mesmo patamar do francês Alain Prost e do alemão Sebastian Vettel. Na história da Fórmula 1 somente dois nomes têm mais títulos: o argentino Juan Manuel Fangio, com cinco, e o alemão Michael Schumacher, com sete. Questionado sobre se busca alcançar o maior campeão da história, o piloto da Mercedes disse não ter esse objetivo. "Não sei como quero escrever o próximo capítulo da carreira. Não sei por mais quantos anos vou continuar no esporte. Só sei que adoro correr", comentou.

Neste ano competir tem sido mais prazeroso para Hamilton. O inglês revelou ter gostado de não ter mais como rival direto pelo título um companheiro de equipe, como foi com Nico Rosberg. A disputa com Sebastian Vettel, da Ferrari, foi mais agradável e empolgante inclusive para os fãs, disse o tetracampeão mundial.

Hamilton comentou que no caminho para se sagrar campeão, o fundamental foi ter ficado mais forte mentalmente. "Todos os dias eu busco aprender coisas nvoas, quero absover energias positivas e me sentir bem com isso", afirmou. O inglês falou durante a entrevista sobre a relação com o Brasil, iniciada na infância, quando acompanha Ayrton Senna, e brincou que poderia um dia ganhar um passaporte brasileiro.

 

Mais conteúdo sobre:
Fórmula 1 Lewis Hamilton

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.