Lisi Niesner/Reuters
Lisi Niesner/Reuters

Hamilton e Bottas aprovam atualizações da Mercedes para o GP da Áustria

Os dois pilotos da equipe dominaram os dois primeiros treinos livres da etapa, realizada em Spielberg, nesta sexta-feira

Estadão Conteúdo

29 Junho 2018 | 19h41

O inglês Lewis Hamilton e o finlandês Valtteri Bottas aprovaram as atualizações que a Mercedes trouxe para o GP da Áustria, neste fim de semana. Os dois pilotos dominaram os dois primeiros treinos livres da etapa, realizada na cidade de Spielberg, nesta sexta-feira.

+ Hamilton mantém domínio e faz melhor tempo no 2º treino livre do GP da Áustria

+ Hamilton comanda dobradinha da Mercedes no primeiro treino livre na Áustria

+ Leia mais notícias na página de automobilismo

Hamilton foi o mais rápido das duas sessões e também do dia, sendo seguido de perto pelo companheiro de time. "O carro já deu uma sensação melhor logo ao saída da garagem para o primeiro treino livre e também logo no início da segunda sessão. À tarde, piorou um pouco e ainda estou tentando entender o motivo", avaliou Hamilton.

"Mas, no geral, o carro traz uma sensação boa. Tenho certeza de que poderemos corrigir o que for necessário. Vou continuar forçando, tentando maximizar um pouco mais destas atualizações", avisou o tetracampeão mundial.

Bottas também aprovou as novidades que deixaram os carros da Mercedes um segundo mais veloz do que nos mesmos treinos livres do ano passado, na Áustria. "O time fez um grande trabalho ao entregar estas atualizações. Cada integrante da equipe trabalhou muito duro para nos dar estas mudanças."

Para o finlandês, as novidades não chegaram a surpreender. "Funcionou exatamente como eu esperava. Principalmente em relação à traseira, que estava muito mais estável desta vez", declarou.

Os dois pilotos da Mercedes e os demais do grid vão voltar à pista de Spielberg às 7 horas (de Brasília) da manhã deste sábado. O treino classificatório está marcada para as 10 horas. No domingo, a largada da corrida está agendada para as 10h10.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.