Ng Han Guan/AP
Ng Han Guan/AP

Hamilton elogia Bottas por pole na China e diz que pode vencê-lo na corrida

Piloto britânico vê companheiro de equipe em atuação 'estelar' em Xangai e promete lutar pela vitória

Redação, Estadão Conteudo

13 de abril de 2019 | 08h38

Atual campeão e dono de cinco títulos da Fórmula 1, o inglês Lewis Hamilton não começou a temporada de 2019 como queria. Após duas corridas, na Austrália e Bahrein, ganhou uma vez, mas não é o líder do Mundial de Pilotos. O posto pertence ao seu companheiro de Mercedes, o finlandês Valtteri Bottas, que neste sábado obteve a pole para o GP da China, em Xangai, que marca a etapa de número 1.000 da história da categoria, e foi elogiado pelo britânico, o segundo colocado no grid.

"Não desisti (no treino), continuei acelerando. Valtteri tem sido estelar em todo o fim de semana. Ainda me resta algum tempo, que espero recuperar amanhã (domingo)", comentou o pentacampeão do mundo logo após o treino oficial de classificação. "Estou lutando com o carro, mas estou muito feliz. Estava 0s8 atrás no Q1, então estar tão perto quanto estivemos no fim é fantástico", destacou.

Hamilton festejou a reação da Mercedes em relação ao grid de largada de duas semanas atrás, no Bahrein, quando a Ferrari foi melhor e fez a pole com o monegasco Charles Leclerc. "É um resultado incrível para a equipe", declarou o inglês, ciente da força da Ferrari em velocidade nas retas.

"A Ferrari é particularmente rápida nas retas. É evidente neste fim de semana que ganhamos alguma performance nas curvas. É um grande trabalho dos caras na fábrica ao analisar os testes e os treinos. Muito, muito feliz", comemorou.

Logo atrás dos dois carros da Mercedes ficou o alemão Sebastian Vettel, que teve a impressão que os rivais conseguiram os bons tempos nas curvas do circuito Internacional de Xangai. "Acho que a gente poderia conseguir um pouco mais, mas não o suficiente para superar esses caras hoje", disse. "Eles são muito rápidos nas curvas. Temos uma vantagem nas retas quando estamos por perto, então talvez a gente consiga fazer algo a partir disso", continuou.

Vettel lamentou não ter conseguido dar a volta perfeita no Q3 por conta da confusão que os pilotos tiveram para abrir a volta rápida em tempo hábil. "A Mercedes pareceu estar em uma posição melhor desde o Q1. Acho que tivemos uma sessão boa, mas talvez ainda pudéssemos conseguir um pouco mais. Na verdade, eu já fiquei feliz por conseguir minha última tentativa. O tempo foi meio apertado", completou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.