Werther Santana/Estadão
Werther Santana/Estadão

Hamilton elogia carinho da torcida e critica manobra de Sirotkin

Piloto da Mercedes chama decisão de adversário de 'desrespeitosa' por quase ter causado uma batida

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

10 Novembro 2018 | 17h58

O inglês Lewis Hamilton, da Mercedes, teve a pole position ameaçada para o GP do Brasil apenas por uma manobra estranha do russo Sergey Sirotkin, da Williams. O pentacampeão mundial teve bom desempenho nos treinos, mas neste sábado por pouco não ficou fora da disputa ao sofrer uma batida do companheiro durante a segunda parte do treino classificatório, no autódromo de Interlagos.

Hamilton estava na Junção e assim como o russo, não estava em uma volta rápida. Sirotkin forçou uma manobra brusca, ao completar a ultrapassagem pela esquerda no mesmo instante em que o piloto da Mercedes também puxou o carro para esse mesmo lado. "Aquilo foi uma manobra desrespeitosa. Foi perigosa para nós dois, porque poderíamos ter sofrido um acidente", afirmou o pentacampeão.

Sirotkin conseguiu passar por Hamilton e os dois não colidiram. O inglês conseguiu continuar no treino classificatório e no fim marcou o melhor tempo, com 1min07s281. A pole position foi a 10ª dele no ano e a 100ª da história da Mercedes. Embora feliz pelo resultado, o piloto deu uma bronca no russo novato pelo risco.

"A atitude foi estranha. O que ele fez foi desnecessário, porque tinha espaço para fazer uma outra manobra e nós dois não estávamos em uma volta rápida. Espero que ele aprenda com isso", afirmou. Depois do treino, o russo admitiu ter errado na manobra. O piloto da Williams vai largar na 15ª posição.

Logo depois de sair do carro, o piloto da Mercedes comemorou a terceira pole position em Interlagos (as outras foram em 2012 e 2016) e dedicou o resultado aos fãs. "Estou feliz por estar aqui no Brasil. Eu adoro o carinho que recebo aqui. O público é muito fanático e o circuito é fantástico", comentou. A largada do GP do Brasil no domingo está marcada para as 15h10.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.