Andrej Isakovic/ AFP
Andrej Isakovic/ AFP

Hamilton elogia equipe mais uma vez e diz que corrida foi um 'sonho'

'Em todo o final de semana o carro foi fantástico', avalia piloto inglês

Estadão Conteúdo

23 de agosto de 2015 | 14h24

O bicampeão mundial Lewis Hamilton mostrou mais uma vez como é grato a todo trabalho desenvolvido por sua equipe nas provas da temporada e, particularmente, neste fim de semana em Spa-Francorchamps, na Bélgica, que culminou em mais uma vitória na sua carreira. O líder do campeonato da Fórmula 1 também aproveitou para ressaltar a cautela com que dirigiu até o fim, principalmente com relação aos pneus.

"Foi incrível, o circuito tomado por fãs, agradeço a todos por terem vindo. Para mim, este foi um fim de semana fantástico. Um trabalho incrível feito pela equipe durante os pit stops, durante todo o fim de semana. Vocês (equipe) sabem, hoje (domingo) foi um sonho", declarou o britânico na coletiva após a prova. "Em todo o fim de semana o carro foi fantástico. Obrigado a todos", reforçou Hamilton, que neste domingo igualou o número de pódios de seu grande ídolo, o brasileiro Ayrton Senna, que chegou 80 vezes entre os três melhores.

Sobre as possíveis preocupações durante a prova, como o Safety Car ou o ataque de seu companheiro, o alemão Nico Rosberg, Hamilton garantiu que estava preocupado com Nico, mas também tomou cuidado com relação ao desempenho dos pneus.

"Nico estava num bom ritmo, óbvio, e eu estava pronto para responder a isso a qualquer hora. O carro estava bem, e eu fiquei bem atento ao desempenho dos pneus, principalmente no final, quando vi que um dos pneus tinha explodido em outros carros. Estava bem cauteloso", salientou o bicampeão mundial. "Nas últimas duas voltas Nico reduziu a diferença. Mas estava no controle o tempo todo e recebi, como disse, uma grande assistência da equipe, o que fez com que me sentisse 100% em todo o fim de semana", concluiu o inglês.

Para Rosberg, o prova não saiu como o esperado, principalmente na largada, quando deixou de ganhar posições e perdeu contato com a ponta. "Sim, eu errei completamente na largada, e isso foi muito perturbador. Lutei pela minha recuperação desde então. Dei tudo, estivemos no limite durante toda a prova. O carro foi fantástico, portanto, estou muito grato à equipe novamente por ter preparado um carro assim", afirmou o alemão.

"Foi sensacional dirigir aqui. E Lewis (Hamilton) fez um grande trabalho, mereceu vencer. Tentei dar tudo que podia, mas não foi suficiente", concluiu o desapontado Rosberg.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.