EFE
EFE

Hamilton lamenta desempenho da Mercedes: 'Não será fácil vencer no domingo'

Atual campeão da Fórmula 1 largará apenas em quarto no GP da China, na madrugada deste domingo

Estadão Conteúdo

14 de abril de 2018 | 11h06

O inglês Lewis Hamilton não escondeu sua insatisfação com o desempenho da Mercedes no treino classificatório para o GP da China, que acontecerá neste domingo. No Circuito Internacional de Xangai, o atual campeão da Fórmula 1 foi apenas o quarto colocado na atividade deste sábado, ao marcar 1min31s675.

Vettel celebra pole na China e elogia Ferrari: 'O carro estava incrível'

Veja o calendário da temporada da Fórmula 1

Confira a classificação do campeonato

"Foi um dia difícil. Nós começamos bem o fim de semana no treino livre, mas o carro se perdeu de nós hoje. O ajuste não estava bom. A Ferrari definitivamente melhorou no fim de semana. Talvez eles não tenham mostrado todo o potencial ontem, mas hoje estavam rápidos", analisou.

Trata-se de mais uma decepção em meio a um início de temporada complicado para Hamilton. Se viu sua Mercedes ser soberana nos últimos anos, o inglês tem sofrido com a superioridade da Ferrari nestas primeiras provas e, pessimista, previu dificuldades para a prova de domingo.

"Não será fácil derrotar o Kimi (Raikkonen) e o Sebastian (Vettel) amanhã. Eles também estão mais velozes nas retas, então a ultrapassagem será difícil. Começamos em quarto e vamos ter que lutar de lá. Vamos manter a cabeça erguida e tentar", comentou.

Se quiser vencer, Hamilton terá que bater também seu companheiro de equipe, Valtteri Bottas, que sairá em terceiro após marcar 1min31s625. Como o inglês, o finlandês também criticou o desempenho da Mercedes e a diferença de desempenho para a Ferrari.

"Viemos para cá achando que lutaríamos pela pole, mas infelizmente ficou fora de alcance. Senti que tirei tudo que podia do carro. Talvez nós não tenhamos usado os pneus perfeitamente, mas não acho que teria sido suficiente para bater a Ferrari. É particularmente decepcionante, porque a diferença para eles é muito grande. Definitivamente, vamos ter que trabalhar muito", apontou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.