Hamilton lamenta dia para 'sentar e esperar' em treino do GP da Rússia

Os pilotos da Mercedes lamentaram as tribulações sofridas nos treinos que abriram o GP da Rússia de Fórmula 1, nesta sexta-feira. O inglês Lewis Hamilton, líder do campeonato, e o alemão Nico Rosberg puderam rodar pouco no Autódromo de Sochi por causa da chuva e de um vazamento de óleo, que reduziu em meia hora a duração do treino inicial.

Estadão Conteúdo

09 de outubro de 2015 | 16h41

"Não foi um dia muito útil. Primeiro teve o problema com o caminhão de limpeza [do qual vazou o óleo]. E, à tarde, houve uma chuva pesada. Então não deu para aprender muito. Só deu para testar umas largadas com ajustes para chuva", avaliou Rosberg, segundo mais veloz do primeiro treino livre em Sochi.

Para Hamilton, os pilotos tiveram um dia para "sentar e esperar". "Hoje tivemos que sentar e esperar. Assistimos e esperamos que a chuva parasse. Aprendemos alguma coisa hoje ao testarmos uma das asas. Mas do meu ponto de vista não houve muito para assimilar", comentou o inglês.

Hamilton, contudo, não se mostrou preocupado com a falta de prática no traçado russo. "Não me preocupo porque todos estão no mesmo barco e espero que o clima seja melhor amanhã e no domingo", afirmou o inglês.

A previsão de tempo deve ajudar o líder do campeonato. A expectativa é de tempo bom para a corrida no domingo. "Sábado e domingo o tempo será seco, por isso decidimos não ficar mais tempo na pista hoje", disse Rosberg ao justificar por que os dois pilotos da Mercedes não registraram tempo no segundo treino livre.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.