Valdrin Xhemaj/EFE
Valdrin Xhemaj/EFE

Hamilton mostra insatisfação com Mercedes após treino livre: 'Um dia estranho'

Inglês ficou em terceiro lugar, atrás das Ferraris do monesgasco Charles Leclerc e do alemão Sebastian Vettel

Redação, Estadão Conteúdo

26 de abril de 2019 | 16h49

Em um dia marcado pelo insólito incidente com o britânico George Russell, que teve o assoalho de sua Williams danificado por uma tampa de bueiro solta no circuito de rua de Baku durante o primeiro treino livre para o GP do Azerbaijão, o inglês Lewis Hamilton ficou insatisfeito com o desempenho de sua Mercedes na segunda atividade desta sexta-feira. O pentacampeão mundial da Fórmula 1 ficou em terceiro lugar, atrás das Ferraris do monesgasco Charles Leclerc e do alemão Sebastian Vettel.

"Foi um dia estranho, mas que eu aproveitei", disse Hamilton, fazendo referência a incidentes como a tampa de bueiro solto e a batida do guincho com uma passarela da pista. "O segundo treino livre correu muito bem. Tive uma boa sensação lá fora e estive mais confortável no carro do que ano passado. Mesmo assim, a Ferrari está claramente muito rápida e parece que eles estão com alguma vantagem sobre nós. Precisamos investigar onde estamos perdendo tempo em relação a eles", comentou.

No treinamento da tarde, o único no qual os pilotos puderam testar seus carros para o treino oficial de classificação, neste sábado, e a corrida, no domingo, Leclerc foi o mais rápido com 1min42s872, quase 0s7 à frente de Hamilton.

"É improvável que a gente encontre 0s7 em uma noite, mas vamos fazer tudo que for possível para colocar o carro na direção certa. Nosso ritmo de corrida parece um pouco mais forte do que o de volta rápida, então precisamos entender o motivo. A briga de amanhã (sábado) deve ser boa. Sempre estou pronto para uma briga e acho que é isso que os fãs querem ver, então fico empolgado para amanhã", apontou.

Atual campeão mundial, Hamilton é o líder da temporada de 2019 com 68 pontos, após três corridas. O inglês venceu as duas últimas - Bahrein e China - e o seu companheiro de Mercedes, o finlandês Valtteri Bottas, que está em segundo com 62, ganhou na Austrália.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.