Hamilton nega estar arrependido por deixar McLaren

Lewis Hamilton desmentiu o chefe da McLaren, Martin Whitmarsh, nesta quinta-feira, e negou estar arrependido por ter deixado a equipe inglesa rumo à Mercedes. O piloto garantiu que está feliz e satisfeito com a decisão de mudar de time a partir da temporada 2013.

AE, Agência Estado

15 de novembro de 2012 | 17h18

Na semana passada, Whitmarsh disse que Hamilton estava arrependido por ter deixado a McLaren, equipe na qual ingressou aos 11 anos. "Acho que ele se arrepende em alguns momentos. Ele não vai dizer em público que cometeu um grande erro. Mas espero que ele pense assim e, principalmente, pense assim no próximo ano. Ele tomou a decisão e terá que viver com ela agora", comentara o chefe da equipe inglesa.

Em sua primeira entrevista em Austin, sede do GP dos Estados Unidos, Hamilton rebateu as declarações de Whitmarsh e reafirmou sua satisfação em pilotar pela Mercedes. "Fiquei surpreso ao ouvir isso porque não é este o caso, com certeza", declarou o piloto.

O inglês atribuiu as declarações de Whitmarsh ao apego emocional com a equipe depois de vários anos de trabalho em conjunto. "Estive em uma grande equipe, com a qual passei muito tempo. Tenho certeza de que todos têm sentimentos pelo grupo. E estou aqui para dar 100% nestas últimas duas corridas. Claro que é uma situação um tanto emotiva para mim, mas estou muito, muito feliz com minha decisão [de deixar a McLaren", afirmou.

Hamilton reiterou que vai brigar pela vitória tanto nos Estados Unidos, neste fim de semana, quanto no GP do Brasil, no dia 25, em sua despedida oficial da McLaren. "Quero apenas dar o meu melhor. Ainda podemos enfrentar os favoritos, apesar de não estarmos na briga pelo título".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.