Ricardo Moraes/ Reuters
Ricardo Moraes/ Reuters

Hamilton pede desculpas a Albon e diz que aceita punição por ter causado batida

Em tom resignado, hexacampeão afirma que não queria tirar o tailandês da prova

Andreza Galdeano, O Estado de S.Paulo

17 de novembro de 2019 | 18h03

O hexacampeão mundial de Fórmula 1 Lewis Hamilton pediu desculpas neste domingo depois de ter causado um acidente com Alexander Albon, da Red Bull, nas voltas finais do GP do Brasil, em Interlagos. Em tom resignado, o inglês afirmou que não queria tirar o tailandês da prova e admitiu ter sido justa a punição recebida pelos fiscais. Com os cinco segundos extras no tempo, ele perdeu o terceiro lugar e caiu para sétimo.

O acidente aconteceu faltando duas voltas para o término da corrida. Na ocasião, Hamilton diz que estava tentando "manter o ritmo de Verstappen" e se desculpou com o adversário. "Foi uma corrida dura. Eu peço desculpas ao Albon, não tinha a intenção de tocá-lo, sei que um piloto espera muito tempo por um pódio. Mas foi uma grande corrida", disse durante a coletiva de imprensa em Interlagos.

Hamilton tirou a chance de Albon conquistar o seu primeiro pódio da carreira e terminou o GP do Brasil na sétima posição, confirmada após a punição aplicada pelos fiscais de prova. "A oportunidade veio, estava mais rápido do que ele (Albon) na curva, na minha cabeça estava tentando alcançar o Verstappen. Aceito a culpa pela punição e peço desculpas", disse o campe]ao da temporada de 2019. "Não gosto de tocar em outros carros. Albon estava dirigindo de forma fantástica. É difícil ser companheiro de equipe de um cara como o Verstappen. Sei como que ele estava se sentindo agora, é triste", explica o piloto da Mercedes.

Albon terminou a corrida na 14º colocação (14s247). O holandês Max Verstappen, da Red Bull, garantiu o topo do pódio, com Pierre Gasly, da Toro Rosso, em segundo. Com a saída de Hamilton do terceiro posto, Carlos Sainz Jr., da McLaren, assumiu o lugar o inglês. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.