Reprodução/Twitter
Reprodução/Twitter

Hamilton rebate declaração de Ecclestone: 'Agora faz sentido que nada tenha sido feito'

Piloto inglês respondeu ao ex-chefão da Fórmula 1 após ele afirmar que "os negros são mais racistas que os brancos" 

Redação, O Estado de S.Paulo

26 de junho de 2020 | 19h56

O piloto Lewis Hamilton não demorou para reagir aos comentários de Bernie Ecclestone. Após o ex-chefão da Fórmula 1 afirmar que "os negros são mais racistas que os brancos", o inglês fez uma postagem nas redes sociais com duras críticas. "Eu não sei nem por onde começar com essa aqui. Que m... é essa?", escreveu, ao lado de uma imagem da chamada da entrevista de Bernie Ecclestone no site da CNN.

Logo em seguida, o piloto fez um longo texto sobre o assunto. "É tão triste e decepcionante ler comentários assim. Bernie está fora do esporte e é de outra geração, mas são comentários errados, ignorantes e sem educação que nos mostram o quanto ainda precisamos evoluir enquanto sociedade para que igualdade real possa acontecer. Agora faz todo o sentido que nada tenha sido feito para tornar o esporte mais diverso ou para lidar com o abuso racial que sofri ao longo da minha carreira", desabafou.

Hamilton reforçou que vai continuar lutando para 'representar aqueles que não possuem voz' para evitar situações pelas quais passou na Fórmula 1. "Se alguém que comandou o esporte por décadas tem tamanha falta de empatia pelos problemas fundamentais que nós pessoas negras temos de lidar todos os dias, como podemos esperar que todas as pessoas que trabalham para ele compreendam? Começa no topo. Mas agora chegou o tempo de mudança. Eu continuarei usando minha voz para representar aqueles que não possuem voz e para falar por aqueles que não são representados, criando oportunidades em nosso esporte", reforçou.

Em entrevista à CNN, dos Estados Unidos, Bernie Ecclestone criticou o movimento recente contra o racismo. O ex-dirigente afirmou que "em muitos casos, negros são mais racistas do que brancos" e questionou o novo programa da categoria voltado a combater preconceitos e promover a diversidade no esporte.

"Isso fará com que as pessoas pensem o que é mais importante. Eu acho que é o mesmo para todos. As pessoas devem refletir um pouco e pensar: 'Bem, que diabos. Alguém não é igual as pessoas brancas e as pessoas negras devem pensar o mesmo das pessoas brancas’. Em muitos casos, os negros são mais racistas do que os brancos", disse o ex-mandatário da F-1.

Apesar da declaração, Ecclestone elogiou a participação de Hamilton nos protestos antirracistas em Londres. "Lewis é especial. Primeiro, ele é muito, muito, muito talentoso como piloto e agora parece ser extremamente talentoso quando está de pé e pode fazer discursos. Esta última campanha que ele está fazendo para os negros é maravilhosa. Ele está fazendo um ótimo trabalho e são pessoas assim, que  outras pessoas escutam", disse.

Depois da declaração de Ecclestone, a Fórmula 1 distribuiu um comunicado à imprensa para explica que discorda da opinião do dirigente. "Em um momento em que a unidade é necessária para combater o racismo e a desigualdade, discordamos completamente dos comentários de Bernie Ecclestone que não têm lugar na Fórmula 1 ou na sociedade. Ecclestone não desempenhou nenhum papel na Fórmula 1 desde que deixou nossa organização em 2017", disse em nota.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.