Joe Castro / EFE
Joe Castro / EFE

Hamilton rebate Rosberg e dá conselhos a Ricciardo antes do GP da Austrália

Atual campeão também questiona falta de diversidade entre os pilotos da categoria

Estadão Conteúdo

22 de março de 2018 | 12h02

Campeão em três dos últimos quatro campeonatos da Fórmula 1, Lewis Hamilton foi o centro das atenções em Melbourne, nesta quinta-feira, na primeira entrevista coletiva da temporada 2018, antes do GP da Austrália, marcado para domingo. E o piloto inglês da Mercedes não fugiu de nenhuma pergunta. Rebateu críticas do alemão Nico Rosberg, aposentado no fim de 2016, deu conselhos ao australiano Daniel Ricciardo e, nas redes sociais, até pediu maior diversidade na categoria.

+ Fórmula 1 aumenta número de zonas de ultrapassagens no GP da Austrália

+ Blog Conversa de Pista: um raio-x das equipes para 2018

Considerado um dos maiores favoritos ao título deste ano, Hamilton foi alvo de críticas por parte de Rosberg durante a semana, quando o alemão foi questionado sobre possíveis fraquezas do ex-companheiro de equipe. O campeão de 2016 afirmou que faltava consistência ao inglês.

Nesta quinta, Hamilton rebateu: "Provei que isso não é verdade no ano passado. Acho que há muitas pessoas que estão procurando virar manchete e esse é um jeito de alcançá-las". "Acho que 2017 foi o meu ano mais completo. Foi uma combinação de coisas, incluindo a pressão que havia sobre mim", declarou.

A Daniel Ricciardo, o piloto da Mercedes deu conselhos sobre seu relacionamento com a Red Bull, uma vez que o australiano negocia a renovação do seu contrato, que só vai até o fim deste ano. A maior preocupação de Ricciardo é com o status de piloto número 1 da equipe, no duelo particular com o holandês Max Verstappen, que vem sendo umas das sensações da F-1 nos últimos anos.

"Eu diria a ele que é importante olhar para a história dos pilotos e ver o que eles disseram no passado para tentar não se indispor com o time. Nos últimos anos, houve pilotos que tomaram decisões ruins ao se indisporem com suas equipes e balançaram o barco. E ele continua numa equipe muito boa", disse Hamilton, ao ser questionado sobre o futuro do rival.

Para o inglês, a Red Bull vai ser uma das principais rivais da Mercedes na temporada. Mas ele admitiu que o maior desafio será enfrentar novamente Sebastian Vettel. Pela primeira vez na história da F-1, haverão dois tetracampeões na pista, lado a lado, na briga pelo título.

"É uma grande experiência poder correr contra o Sebastian. Acho que sempre temos que lutar contra os melhores. Este deve ser um ano muito empolgante para os fãs da Fórmula 1", disse Hamilton, que tentou fazer mistério quanto ao verdadeiro ritmo da Mercedes. "O último teste foi um pouco distorcido porque todos estavam com cargas diferentes de combustível. Então estou ansioso para ver como será na pista", declarou.

Após a longa coletiva em que esteve, Hamilton se manifestou também nas redes sociais. Em um vídeo em que mostra os locais de hospitalidade de Melbourne, onde será disputado o GP da Austrália no domingo, o piloto fez uma crítica à falta de diversidade na principal categoria do automobilismo brasileiro.

"Há quase nenhuma diversidade na Fórmula 1. Ainda nada mudou em 11 anos, desde que estou aqui", disse o piloto de 33 anos. "Crianças, pessoas, há muitos cargos e funções no esporte em que qualquer um, independente de qualquer etnia ou experiência, pode se encaixar", declarou o inglês.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.