Hamilton: 'Rosberg admitiu que me acertou de propósito'

Pilotos da Mercedes se tocaram logo na segunda volta da prova, e o acidente estourou o pneu traseiro esquerdo do inglês

Estadão Conteúdo

24 de agosto de 2014 | 15h37

Lewis Hamilton e Nico Rosberg voltaram a concentrar as atenções da Fórmula 1 neste domingo. Um toque do alemão logo na segunda volta do GP da Bélgica praticamente acabou com a corrida do inglês e esquentou mais uma vez a disputa interna na Mercedes pelo título no Mundial de Pilotos.

O toque estourou o pneu traseiro esquerdo de Hamilton, que caiu para o pelotão traseiro após parar nos boxes e não conseguiu fazer uma corrida de recuperação. Insatisfeito, ele pediu para abandonar a prova ainda no início diante da resistência da direção da Mercedes, que só liberou o retorno aos boxes faltando quatro voltas para o fim da prova.

Irritado com a manobra de Rosberg no início, Hamilton e Rosberg fizeram uma breve reunião com a Mercedes. E o inglês revelou que o alemão teria admitido o toque intencional em seu carro. "Acabamos de nos reunir e ele basicamente disse que fez de propósito. Ele disse que fez de propósito", repetiu o inglês, diante da imprensa.

"Ele disse que poderia evitar o toque. Disse: ''Eu fiz para provar que tinha razão''", afirmou Hamilton, sem esconder a incredulidade por ter ouvido as supostas palavras do companheiro de equipe. "Mas vocês não precisam acreditar em mim. Podem perguntar ao Toto [Wolff] e ao Paddy [Lowe], que também não estão felizes com ele", declarou Hamilton, referindo-se aos dirigentes da Mercedes.

"Eu fiquei assombrado quando estava na reunião. Vocês precisam perguntar para a ele o que ele estava querendo provar", completou o inglês, vice-líder do campeonato, atrás somente de Rosberg no Mundial. O alemão chegou aos 220 pontos, contra 191 do piloto britânico.

O alemão também falou com os jornalistas depois da reunião, mas não revelou detalhes sobre a reunião. "Não seria correto falar sobre isso. Eu não quero entrar em detalhes agora sobre quem pediu desculpas", declarou o piloto, que terminou o GP da Bélgica na segunda colocação, atrás do australiano Daniel Ricciardo, da Red Bull.

"Tivemos uma conversa, o que é importante em circunstâncias como essa, porque obviamente o que aconteceu custou ao time muitos pontos. Este é o grande foco e a questão mais importante diante do que aconteceu hoje", declarou Rosberg.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.