Hamilton se defende de punição sofrida na Málasia

O inglês Lewis Hamilton demonstrou insatisfação com a punição recebida no GP da Malásia de Fórmula 1, no último domingo. O piloto da McLaren teve 20 segundos adicionados a seu tempo após o fim da prova, por ter mudado de linha mais de uma vez quando defendia sua posição contra o espanhol Fernando Alonso.

AE, Agência Estado

14 de abril de 2011 | 13h52

"Não acho que eu exagerei na defesa da minha posição. Sou um piloto e as pessoas esperam ver corrida. Jamais colocaria alguém em risco, nem em milhões de anos. Acho que sempre corri com o coração e tive decisões inteligentes quando se trata de pilotar e defender. Quando se está defendendo torna-se o carro o mais largo possível", afirmou.

Como resultado da punição, Hamilton acabou sendo o oitavo colocado, mesmo tendo terminado a prova em sétimo - foi ultrapassado por Kamui Kobayashi no tempo. O piloto inglês só espera agora que esses dois pontos a menos não façam diferença no final do campeonato.

"Vinte segundos não foi tão ruim. Perdi uma colocação, mas eu estava tão à frente que não fez tanta diferença para mim. Acho que perdi dois pontos. Claro que dois pontos podem ser um fator de decisão no final do ano, mas espero que consiga recuperá-los", declarou.

O inglês volta à pista neste domingo, em Xangai, no GP da China, tentando acabar com a supremacia da Red Bull, que venceu as duas primeiras etapas do Mundial com Sebastian Vettel. "Não vejo razão para não estarmos próximos da Red Bull", apontou Hamilton, otimista.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.