Andreas Solaro/AFP
Andreas Solaro/AFP

Hamilton fica perplexo por poder igualar marcas de Senna na F-1

Se ganhar mais uma, piloto inglês somará 41 vitórias na carreira

Estadão Conteúdo

17 de setembro de 2015 | 10h45

Líder disparado do Mundial de Fórmula 1, Lewis Hamilton esta prestes a igualar marcas do seu grande ídolo: Ayrton Senna. Caso volte ao topo do pódio no GP de Cingapura, neste domingo, o inglês irá alcançar as mesmas 41 vitórias que o brasileiro, morto de forma trágica em 1994, alcançou na máxima categoria do automobilismo.

Para completar, o piloto da Mercedes poderá atingir, curiosamente, o mesmo número de triunfos do tricampeão mundial no seu 161º GP, que também é o número total de corridas disputadas pelo ídolo na F1.

Ao ser lembrado sobre essa possibilidade nesta quinta-feira, o piloto da Mercedes exibiu perplexidade, pois reconheceu que só havia se dado conta de que se aproximava das marcas de Senna após vencer o GP da Itália, há quase duas semanas.

"Sempre quis imitar Ayrton Senna e estou muito perto do número de corridas que ele fez, a apenas uma prova de distância, e a uma vitória de igualar o número de corridas que ele venceu", disse Hamilton, no circuito de Marina Bay, onde reconheceu: "Somente depois da última prova é que vi quantas corridas já tinha feito na F1 e percebi que estava bem próximo do que Ayrton fez, então mal pude acreditar".

Hamilton também admitiu que seria "muito emocionante" igualar duas marcas de Senna de uma só vez neste domingo, quando poderá passar a dividir também com Sebastian Vettel o posto de terceiro piloto com maior número de vitórias na F1. O alemão, que foi tetracampeão mundial com a Red Bull e agora corre pela Ferrari, também tem as mesmas 41 vitórias de Senna. À frente de Vettel e Senna estão apenas Michael Schumacher, recordista absoluto, com 91 triunfos, e Alain Prost, com 51.

"Agora estou focado neste objetivo (alcançar 41 vitórias na carreira), e estou muito perto. Pode ou não pode acontecer neste final de semana, eu ainda tenho um sério desafio pela frente, mas é ótimo estar lá em cima", ressaltou Hamilton, garantindo também que não se sente pressionado pelo fato de correr com a chance de igualar uma marca expressiva de Senna. "Não estou aqui pensando nesses números. Estou aqui para ganhar a corrida e vou fazer o melhor. Não há uma pressão extra neste fim de semana", assegurou.

Favorito ao título que lhe garantiria um tricampeonato na F1, que o faria igualar outra marca de Senna, Hamilton hoje tem 255 pontos no Mundial. O alemão Nico Rosberg, seu companheiro de Mercedes, é o vice-líder com 199, seguido de perto por Vettel, que acumula 178 com a Ferrari. Bem distante deste trio, o brasileiro Felipe Massa é o quarto colocado, com 97.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.