Valdrin Xhermaj/EFE
Valdrin Xhermaj/EFE

Hamilton se empolga com carro para o Canadá, mas reitera favoritismo da Ferrari

Piloto da Mercedes quer reduzir desvantagem no topo da tabela para o rival Sebastian Vettel

Estadão Conteúdo

08 de junho de 2017 | 21h58

Vinte e cinco pontos atrás do líder Sebastian Vettel no Mundial de Fórmula 1, Lewis Hamilton exibiu empolgação nesta quinta-feira ao comentar as atualizações feitas pela Mercedes em seu carro visando a disputa do GP do Canadá, cujos primeiros treinos livres serão nesta sexta, no circuito Gilles Villeneuve, em Montreal, palco da sétima etapa do campeonato, no próximo domingo.

O piloto inglês, porém, reiterou o favoritismo da Ferrari, que na última terça-feira havia sido qualificado pelo chefe de automobilismo da Mercedes, Toto Wolff, como "doloroso" após três temporadas de domínio da sua equipe na F-1.

"Acho que Toto mencionou sobre o que pensamos da Ferrari... Nós temos obviamente visto que a Ferrari é mais rápida neste momento, então eles são favoritos, mas nós temos trabalhado muito duro para corrigir os problemas que tivemos na última corrida", afirmou Hamilton.

Em seguida, o tricampeão mundial comentou sobre o fato de que a Mercedes tem enfrentado dificuldades para conseguir bom desempenho enquanto os seus carros estão usando os pneus ultramacios fornecidos pela Pirelli para esta temporada.

"Fizemos algumas análises e percebemos que, mesmo com carros iguais, há diferenças em termos de temperatura (dos pneus). Mas espero que, com as peças únicas que temos para essa corrida e que podem funcionar bem, possamos superá-los (Vettel e Kimi Raikkonen, da Ferrari) aqui. É uma pista exigente e agressiva", disse.

Na vice-liderança do Mundial, Hamilton amargou uma sétima posição no GP de Mônaco, a última etapa do campeonato, na qual Vettel disparou na ponta ao vencer a prova. Para completar, a Ferrari ainda teve Raikkonen como segundo colocado, garantindo uma dobradinha para o time italiano.

Tudo o que sabemos sobre:
VelocidadeFórmula 1Lewis Hamilton

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.