Hamilton vence em Cingapura e Button amplia vantagem

O GP de Cingapura deste domingo chegou a lembrar a última temporada da Fórmula 1. Não por algum incidente polêmico parecido com o que envolveu o brasileiro Nelsinho Piquet na corrida do ano passado, vencida por Fernando Alonso, mas pelo domínio do inglês Lewis Hamilton, da McLaren. O atual campeão largou na pole e fez uma prova tranquila, perdendo a liderança apenas nas paradas nos boxes.

AE, Agencia Estado

27 de setembro de 2009 | 11h50

A prova noturna na Ásia também marcou a recuperação de outro piloto da Inglaterra: Jenson Button, que chegou à frente de Rubens Barrichello e aumentou a vantagem na liderança do Mundial. Com a quinta posição, Button abriu mais um ponto para o brasileiro, que chegou em sexto, deixando a diferença em 15 pontos. Agora, o inglês soma 84, contra 69 de Barrichello, restando três corridas.

Completando o pódio em Cingapura, o alemão Timo Glock, da Toyota, chegou em segundo ao fazer uma prova segura, sempre se mantendo entre os primeiros colocados, depois de largar em sexto. Já o terceiro foi Alonso. O espanhol da Renault começou em quinto no grid, mas se beneficiou de uma punição imposta ao alemão Sebastian Vettel, da Red Bull, para ficar com o caminho livre.

Em uma prova sem muitas alternativas e poucas ultrapassagens, fez diferença a regularidade dos pilotos na pista e a estratégia de corrida. Assim, Hamilton foi soberano na frente, enquanto Barrichello perdeu a posição para o companheiro de Brawn GP na segunda parada nos boxes, já nas voltas finais. Depois, Button ainda se manteve à frente sem ser ameaçado pelo brasileiro.

O outro fator determinante para o resultado final foram as punições. Primeiro, o alemão Nico Rosberg, terceiro no grid, teve que cumprir um drive-through por pisar na linha branca no chão ao sair dos boxes. Vettel também recebeu a mesma punição, mas por exceder o limite de velocidade no pit, e acabou tendo sua corrida prejudicada, chegando em quarto. Além disso, o alemão Nick Heidfeld, da BMW, largou dos boxes porque seu carro estava abaixo do peso após os treinos.

Assim como as punições, a entrada do safety car na 20.ª volta também ajudou a definir a classificação final em Cingapura. Após Adrian Sutil e Heidfeld se chocarem, a bandeira amarela permaneceu por quatro voltas e parecia beneficiar Barrichello, que viu Button ficar duas colocações atrás por um longo tempo. Mas o inglês conseguiu se aproximar no momento certo para ganhar a posição no fim.

Com a briga pelo título ainda aberta entre Button e Barrichello, a Fórmula 1 terá a sua próxima etapa no GP do Japão, em Suzuka, na madrugada do próximo dia 4 de outubro. Na sequência, acontece o GP do Brasil, em Interlagos, no dia 18, com a temporada se encerrando nos Emirados Árabes, em 1.º de novembro.

Classificação final do GP de Cingapura (61 voltas):

1.º - Lewis Hamilton (ING/McLaren), 1h56min6s337

2.º - Timo Glock (ALE/Toyota), a 9s634

3.º - Fernando Alonso (ESP/Renault), a 16s624

4.º - Sebastian Vettel (ALE/Red Bull), a 20s261

5.º - Jenson Button (ING/Brawn GP), a 30s015

6.º - Rubens Barrichello (BRA/Brawn GP), a 31s858

7.º - Heikki Kovalainen (FIN/McLaren), a 36s157

8.º - Robert Kubica (POL/BMW Sauber), a 55s054

9.º - Kazuki Nakajima (JAP/Williams), a 56s054

10.º - Kimi Raikkonen (FIN/Ferrari), a 58s892

11.º - Nico Rosberg (ALE/Williams), a 59s777

12.º - Jarno Trulli (ITA/Toyota), a 1min13s009

13.º - Giancarlo Fisichella (ITA/Ferrari), a 1min19s890

14.º - Vitantonio Liuzzi (ITA/Force India), a 1min33s502

Não completaram:

Jaime Alguersuari (ESP/Toro Rosso), abandono, volta 47

Sebastien Buemi (SUI/Toro Rosso), abandono, volta 47

Mark Webber (AUS/Red Bull), acidente, volta 45

Adrian Sutil (ALE/Force India), acidente, volta 22

Nick Heidfeld (ALE/BMW Sauber), acidente, volta 19

Romain Grosjean (FRA/Renault), abandono, volta 3

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.