Hamilton vence na China; Massa é o 2.º e adia decisão

O inglês Lewis Hamilton, da McLaren, foi o vencedor do GP da China de Fórmula 1, neste domingo, mas não garantiu o título antecipado da temporada. O brasileiro Felipe Massa, da Ferrari, chegou na segunda posição e adiou a decisão para a última etapa da competição, o GP do Brasil, que será disputado no dia 2 de novembro, no circuito de Interlagos.O finlandês Kimi Raikkonen ficou em terceiro, marcando uma dobradinha da Ferrari no pódio. Com o resultado, a equipe ampliou a vantagem sobre a McLaren no Mundial de construtores, com 156 pontos diante dos 145 do time adversário. Na disputa individual, Hamilton tem agora sete pontos de vantagem sobre Massa: 94 a 87. Para conquistar o título no GP do Brasil, o inglês precisa chegar apenas em quinto colocado, mesmo que Massa seja o primeiro. Já o brasileiro precisa vencer a corrida e ainda torcer para que seu rival seja pelo menos o sexto. O polonês Robert Kubica, terceiro colocado na classificação geral, não tem mais chances de faturar o título após a sexta posição obtida na China. A prova deste domingo foi dominada com facilidade pela McLaren. Sob um tempo fechado, mas sem chuva, o carro de Hamilton largou na pole position, mantendo a posição sem problemas, assim como Raikkonen. Massa, no entanto, foi ameaçado pelo espanhol Fernando Alonso e pelo finlandês Heikki Kovalainen, na primeira volta, mas segurou a terceira colocação.Com facilidade, o inglês manteve a liderança, marcando a volta mais rápida da corrida (1min36s325) e abrindo uma vantagem de 6s7 sobre Raikkonen, segundo colocado. Após a parada nos boxes, o piloto da McLaren voltou em terceiro, mas não demorou mais que uma volta para retomar a ponta. Após as paradas, Hamilton conseguiu maior vantagem, com 12s3 na frente de Raikkonen, que se atrapalhou com os retardatários. As três primeiras colocações se mantiveram inalteradas depois das duas paradas. Na volta 50, Raikkonen, que não tem mais condições de levar o título, desacelerou e Massa ultrapassou o companheiro de equipe. O inglês, no entanto, não foi ameaçado pelo brasileiro e chegou a abrir 16s6 sobre o rival. Vencedor das duas últimas corridas, o Alonso perdeu a quarta posição na seqüência da largada para Kovalainen, mas retomou a colocação ainda na primeira volta. O finlandês ainda teve um pneu furado na volta 35, se recuperou, mas abandonou a corrida na volta 51.O brasileiro Nelsinho Piquet, que largou em 11.º, chegou a alcançar a quinta posição, logo atrás de Massa. Mas, depois do pit stop, o piloto da Renault voltou à 10ª posição, mas acabou a corrida em oitavo, marcando um ponto. Rubens Barrichello, da Honda, largou em 13.º, e alcançou a 11ª colocação. Confira a ordem de chegada do GP da China:1.º - Lewis Hamilton (ING/McLaren)2.º - Felipe Massa (BRA/Ferrari), 14s93.º - Kimi Raikkonen (FIN/Ferrari), 16s44.º - Fernando Alonso (ESP/Renault), 18s35.º - Nicki Heidfeld (ALE/BMW-Sauber), 28s96.º - Robert Kubica (POL/BMW-Sauber), 33s27.º - Timo Glock (ALE/Toyota), 41s78.º - Nelsinho Piquet (BRA/Renault), 56s69.º - Sebastian Vettel (ALE/Toro Rosso), 64s3 10.º - David Coulthard (GBR/Red Bull), 74s8 11.º - Rubens Barrichello (BRA/Honda), 85s0 12.º - Kazuki Nakajima (JAP/Williams), 90s8 13.º - Sebastien Bourdais (FRA/Toro Rosso), 91s4 14.º - Mark Webber (ALE/Red Bull), 92s415.º - Nico Rosberg (ALE/Williams), 1 volta16.º - Jenson Button (ING/Honda), 1 volta17.º - Giancarlo Fisichella (ITA/Force India), 1 volta

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.