Alessandro Bianchi / Reuters
Alessandro Bianchi / Reuters

Honda anuncia saída de Pedrosa da equipe ao final desta temporada da MotoGP

Presidente da equipe afirma ser um dia triste e agradece ao piloto espanhol

Estadão Conteúdo

05 Junho 2018 | 10h02

A equipe Honda anunciou oficialmente terça-feira que Dani Pedrosa vai deixar de correr pela equipe na MotoGP após o final da temporada deste ano. Será o fim de uma longa relação de 18 anos do piloto espanhol com a montadora japonesa, que ele defendeu em três categorias diferentes da motovelocidade e pela qual estreou na 125cc, hoje chamada de Moto3, em 2001.

+ Lorenzo encerra jejum e vence etapa italiana da MotoGP

O espanhol de 32 anos de idade ganhou um total de 31 provas pela Honda e foi três vezes vice-campeão da MotoGP. Entretanto, ele vem tendo a sua carreira atrapalhada por lesões e operações nos últimos tempos e ainda não subiu ao pódio nenhuma vez no campeonato deste ano da elite máxima da motovelocidade.

Atualmente, Pedrosa ocupa apenas a 12ª posição da classificação geral da temporada. Em meio a este contexto, as partes acertaram um acordo mútuo para o fim da parceria ao término do Mundial deste ano. E o piloto informou nesta terça que revelará os próximos planos para o seu futuro nas pistas quando chegar a Barcelona para a próxima etapa da MotoGP, marcada para o dia 17 de junho.

Por meio do comunicado divulgado nesta terça pela Honda, Pedrosa ressaltou: "Eu quero agradecer à Honda por todos estes anos de grande sucesso. Eu cresci não apenas como um piloto, mas como pessoa com a equipe. Eu sempre terei a Honda em minhas lembranças e em meu coração".

Depois, sem revelar seu futuro, o piloto enfatizou que "na vida nós todos precisamos de novos desafios e eu sinto que esta é a hora para uma mudança". "Obrigado, Honda", finalizou o espanhol, que depois publicou uma nota oficial na qual também agradeceu à equipe por "ter respeitado sempre suas prioridades e decisões". E ele destacou que esta parceria resultou "em uma das relações de trabalho mais frutíferas do Mundial de MotoGP".

O presidente da equipe Honda, Yoshishige Nomura, afirmou também que "hoje é um dia triste" para ele e agradeceu Pedrosa por "todo o seu trabalho e esforço". "Quero expressar minha gratidão por estas duas décadas juntos e quero desejar-lhe o melhor para o futuro", disse o dirigente, por meio do comunicado divulgado hoje pelo time.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.