Vivek Prakash/Reuters
Vivek Prakash/Reuters

Horário do GP da Malásia de F-1 gera polêmica entre pilotos

Rosberg pede: 'Seria preferível que a corrida retornasse ao seu horário habitual ou virasse uma prova noturna'

EFE

31 de março de 2009 | 11h02

CINGAPURA - O horário de largada do Grande Prêmio da Malásia de Fórmula 1, previsto para as 17 horas locais (6 horas de Brasília), irritou alguns pilotos, que temem pouca visibilidade na pista ao final da segunda prova da temporada.

Veja também:

tabela F-1: classificação do Mundial de Pilotos

especialConfira o calendário da temporada

especialESPECIAL: jogue o Desafio dos Pilotos

Os organizadores estabeleceram a hora de acordo com os interesses dos telespectadores europeus, mas alguns pilotos alertam para possíveis problemas.

Um dos que reclamou foi o alemão Nico Rosberg. O piloto da Williams lembrou que o fato já ocorreu no GP da Austrália, disputado domingo passado em Melbourne:.

"A visibilidade era muito pobre, o que aumentava o risco de cometer erros. Seria preferível que a corrida (da Malásia) retornasse ao seu horário habitual ou virasse uma prova noturna, bem iluminada", disse.

O japonês Kazuki Nakajima, seu companheiro na Williams, acha que "a possível combinação de escuridão e chuva seria um grande problema" no circuito de Sepang, palco da prova.

Para o alemão Nick Heidfeld, da BMW-Sauber, o horário anterior permitia mais chances de as condições meteorológicas serem boas durante a prova. "Tivemos diversas tempestades na Malásia no início da tarde, e este ano a probabilidade de isso ocorrer quando estivermos na pista é maior", apontou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.