Ídolos australianos criticam organização do GP de F-1

Os dois maiores ídolos da Austrália na Fórmula 1 uniram-se em reclamações contra a organização do GP da Melbourne, que abre a temporada da categoria neste domingo. Jack Brabham, tricampeão em 1959, 1960 e 1966, e Alan Jones, que deu o primeiro título à Williams, em 1980, afirmam que foram ignorados pelos dirigentes locais - é comum que ex-pilotos ganhem convites e homenagens nas corridas em seu país natal.

AE, Agencia Estado

25 de março de 2009 | 17h00

Jones, que comanda a equipe australiana na A1GP, costuma prestigiar provas do Mundial na Europa. Mas não foi convidado para os eventos do fim de semana no Albert Park. "Escrevi para Bernie Ecclestone [promotor da categoria], e ele mandou um bilhete direto da Inglaterra. Parece que ele estava mais inclinado a ajudar do que as pessoas aqui do meu próprio país", reclamou em entrevista ao diário local Herald Sun.

O ex-piloto criticou também o fato de não haver uma homenagem a Jack Brabham, cujo primeiro título completa 50 anos em 2009. "Ele é um ícone, um tesouro nacional. Esquecê-lo dessa forma é patético."

Brabham recusou o convite da organização para aparecer no Albert Park durante o fim de semana. O tricampeão alegou que só foi chamado depois que seu filho David - também ex-piloto de F-1 - lembrou os organizadores de que o pai não havia sido convidado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.