John Thys/AFP
John Thys/AFP

Ileso após acidente, Leclerc aprova halo: 'Feliz por estar acima da minha cabeça'

Monegasco viu o carro de Fernando Alonso voar por sobre o seu; acessório protegeu piloto de um impacto direto

Estadão Conteúdo

26 Agosto 2018 | 16h14

O piloto Charles Leclerc, da Sauber, exaltou a existência do halo após se envolver em acidente pouco depois da largada do GP da Bélgica de Fórmula 1, neste domingo. Logo na primeira curva do circuito de Spa-Francorchamps, o alemão Nico Hulkenberg, da Renault, acertou a traseira da McLaren do espanhol Fernando Alonso, que decolou e pulou por cima do carro do monegasco.

"Definitivamente, o halo ajudou", disse o piloto monegasco a repórteres logo após a colisão, que causou o abandono dele no GP da Bélgica. "Fim da corrida na primeira curva. Frustrante. Nunca fui fã do halo, mas devo dizer que estou muito feliz por ele estar acima da minha cabeça nessa corrida", escreveu Leclerc no Twitter.

Também pela rede social, ex-pilotos se manifestaram sobre o assunto. "Depois do que vimos hoje (domingo), podemos dizer que o halo é lindo!", escreveu o brasileiro Felipe Massa. O ex-campeão Nico Rosberg seguiu a mesma linha: "Podemos encerrar a discussão sobre o halo. Ele salva vidas", afirmou o alemão.

Envolvido na sequência de batidas, Alonso também aprovou a peça de proteção. "Foi uma boa prova. Nós não precisávamos de uma boa prova, mas foi uma coisa boa", disse o espanhol depois do acidente. Bicampeão mundial anunciou que vai deixar a McLaren e não vai correr na Fórmula 1 em 2019, portanto essa pode ter sido a última corrida dele em Spa-Francorchamps pela categoria.

"Foi um grande equívoco (de Hülkenberg). Não sei como ele conseguiu errar desse jeito", queixou-se Alonso. Como punição por causar as colisões, o piloto alemão vai perder 10 posições no grid de largada do GP da Itália, o próximo do calendário da Fórmula 1.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.