Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Indy: Brasileiro quer copiar Montoya

O mineiro Bruno Junqueira estréia este ano na Fórmula Indy, pela equipe Chip Ganassi, e já definiu seu objetivo: pelo menos igualar o desempenho do colombiano Juan Pablo Montoya. Não do Montoya campeão de 1999, mas do que chegou em 9º lugar na temporada passada. É que o brasileiro tem à disposição o mesmo conjunto (Lola/Toyota/Firestone) usado pelo colombiano no ano passado, o que entende ser um bom parâmetro de comparação."Para mim, é difícil fazer um prognóstico porque, na temporada de estréia, preciso adaptar-me a muitas coisas, das pistas ao regulamento. Mas estou progredindo nos treinos e diria que, para o meu primeiro ano, ter um desempenho semelhante ao do Montoya seria muito bom?, diz o brasileiro.No entanto, Bruno vai ter de trabalhar bastante para atingir seu objetivo. No ano passado, quando a Chip Ganassi utilizou pela primeira vez os motores Toyota, Montoya, apesar de ter ficado apenas em 9º lugar na classificação feral do campeonato, com 126 pontos, venceu três corridas e fez sete pole positions. Atualmente, o colombiano está na Fórmula 1.Se depender de confiança, Bruno, campeão da F-3.000 no ano passado, atingirá seu objetivo. "Estou me sentindo bem. O carro é rápido e confiável. O fato de estar em uma equipe vencedora também é muito importante?, acredita.Uma das principais preocupações de Bruno Junqueira, a adaptação aos circuitos ovais - ele já andou em Nazareth, Phoenix e Homestead -, está sendo boa, na sua avaliação e também na de outros pilotos. "Pelo que vem mostrando até agora, o Bruno vai sair-se muito bem nos ovais?, acredita Roberto Moreno, na Patrick Racing, ao analisar os treinos do estreante que assistiu até agora.Os melhores - O mineiro não se sente pressionado pela obrigação de obter bons resultados, mas o dono da equipe, Chip Ganassi, admite esperar muito dele e do francês Nicolas Minassian, o outro piloto da equipe e também estreante na categoria. "Fui buscar o que tinha de melhor no mercado internacional. Não quero apenas bons pilotos, quero pilotos geniais?, declarou o "chefe?, ao comentar a renovação que decidiu fazer na equipe.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.