Indy: Nazareth exige muito dos pilotos

A opinião é unânime na Fórmula Indy. Apesar de Nazareth, onde acontece a etapa deste domingo, ser um circuito trioval, as ultrapassagens não são tão fáceis assim. Isso porque a pista é curva e há a possibilidade de se enfrentar muito tráfego, o que torna as manobras um pouco mais complicadas. "De todos os circuitos com estas características, esse é o mais difícil de ultrapassar. Dá mais trabalho??, avaliou o brasileiro Cristiano da Matta, da Newman-Haas. Assim, sair na pole na prova de domingo ganha uma importância maior - além do ponto extra - do que quando se corre em outros circuitos ovais. Largar na frente e depois, ter a estratégia correta no pit stop, pode se tornar um bom caminho para a vitória. Apesar disso, Cristiano não está muito otimista com a possibilidade de conseguir o melhor tempo no treino deste sábado. Isso porque, nos treinos livres de hoje, a Newman-Haas não conseguiu o melhor acerto nem para o seu carro nem para o de Christian Fittipaldi. Com isso, o piloto mineiro terminou com o 9º tempo do dia (21s050) e o seu companheiro foi o 14º (21s235). À tarde, a equipe tentou várias modificações, mexendo principalmente nos amortecedores, por causa de algumas ondulações na pista e também no motor. Cristiano conseguiu melhorar o tempo em relação ao treino da manhã, quando tinha feito 21s278, mas não ficou satisfeito. "As coisas não andaram muito bem. Até melhoramos no final na sessão da tarde, mas ainda está longe do ideal.Hoje eu diria que não dá para pensar na pole??, disse o líder da temporada. Se Cristiano estava um pouco desapontado, Roberto Moreno, da Patrick Racing, mostrava satisfação com o meio segundo que ganhou entre o treino da manhã e o da tarde. "Meu engenheiros sempre têm boas idéias para acertar o carro e mostraram isso mais uma vez. Claro que ainda temos problemas, mas tenho certeza de que acharemos o caminho??, disse o brasileiro. Detalhe: Moreno estava otimista apesar de ter feito apenas o 19º tempo do dia (21s380) entre os 25 pilotos que treinaram.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.