Diego Azubel/EFE
Diego Azubel/EFE

Insatisfeito com carro, Massa pede paciência à Ferrari

Brasileiro não mostra muito otimismo para o treino classificatório e a corrida de domingo no Bahrein

Agência Estado,

24 de abril de 2009 | 16h16

MANAMA, Bahrein - A sexta-feira de treinos livres para o GP do Bahrein foi mais um dia ruim para Felipe Massa e a Ferrari na temporada de 2009 da Fórmula 1. O brasileiro fechou a primeira sessão em oitavo, foi o 16.º no segundo treino e não mostrou muito otimismo para o treino classificatório e a corrida. Apesar dos problemas, ele pediu que a equipe tenha paciência para evoluir.

Veja também:

linkRosberg é o mais rápido no Bahrein, com Alonso em 2.º

tabela F-1: classificação do Mundial

especialConfira o calendário da temporada

especialESPECIAL: jogue o Desafio dos Pilotos

"Definitivamente não foi um bom dia. Trabalhamos muito pensando na corrida, mas temos de melhorar a dirigibilidade do carro para ganhar terreno para o treino classificatório e a prova. Temos de ser pacientes no momento e tentar fazer o melhor possível nessas condições", disse o brasileiro, vice-campeão em 2008 e ainda sem pontos na atual temporada.

Sobre os treinos desta sexta-feira, Massa afirmou que poderia ter conquistado uma posição melhor. Ele também destacou a importância do Kers - sistema de recuperação de energia cinética - na pista bareinita. "O Kers ajudou. Sem ele, seu teria sido ainda mais lento. Errei no fim da curva três na minha última volta, e isso me custou pelo menos três décimos".

O finlandês Kimi Raikkonen, companheiro de Ferrari, ficou em décimo e 18.º nas duas sessões, sem o Kers. E não mediu as palavras ao falar das expectativas para a prova. "Será um fim de semana difícil. Mas nunca esperamos que não seria. Está claro que não estamos tão rápidos quanto gostaríamos."

O treino oficial para o GP do Bahrein começa às 8 horas de sábado; antes, às 5 horas, os pilotos fazem o último treino livre. A largada para a prova será às 9 horas de domingo (horários de Brasília).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.