Insatisfeito, Massa deixa associação de pilotos da F-1

Piloto brasileiro não concorda com a maneira como a associação era comandada pelos líderes Trulli e Webber

Agência Estado

09 de maio de 2008 | 11h14

Felipe Massa afirmou nesta sexta-feira que não fará mais parte da GPDA (Grand Prix Drivers Association, em inglês), associação que cuida dos interesses de pilotos da Fórmula 1. O grupo destacou-se nos últimos anos pela luta por mais segurança nos carros e pistas da categoria. "Decidi sair porque não estava satisfeito com a maneira como a associação era comandada", afirmou o brasileiro ao diário italiano La Gazzetta dello Sport. Massa é apenas o quarto piloto da lista dos que não são filiados à associação. Além dele, Kimi Raikkonen, Lewis Hamilton e Adrian Sutil não fazem parte do grupo, que tem como líderes o italiano Jarno Trulli e o australiano Mark Webber. Trulli criticou recentemente os colegas que não fazem parte da associação. "Eles entram no carro e se beneficiam do trabalho dos outros, e do dinheiro que os demais investem em melhorias", afirmou o piloto da Toyota. 

Tudo o que sabemos sobre:
Felipe MassaFerrari

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.