Interlagos: 69 anos de glórias do automobilismo brasileiro

Nomes como Emerson Fittipaldi, José Carlos Pace, Ayrton Senna e Felipe Massa brilharam no circuito

Valéria Zukeran, Estadão

20 de outubro de 2007 | 11h06

Em 1938, dois empreiteiros da empresa Autoestradas S/A decidiram construir uma pista de corrida para contribuir com o desenvolvimento de um novo bairro residencial que se formava na região. Surgia assim o Autódromo de Interlagos, que foi inaugurado em 12 de maio de 1940 com várias provas de automóveis e motocicletas. O circuito, que era particular, foi vendido em 1950, para o Comitê de Celebração do IV Centenário da Cidade de São Paulo. A idéia era que ele fosse reformado, mas nada aconteceu até 1966, quando foram feitos ajustes para elevar a pista à categoria de internacional. Veja também:  Vídeo de Hamilton aos 12 anos de idade Dê uma volta pelo Circuito de Interlagos Classificação do Mundial   Você perdoaria Felipe Massa se ele abrisse mão da vitória no GP do Brasil para que Kimi Raikkonen fosse campeão? Hamilton é o mais rápido no 2.º treino para o GP do Brasil Na 1.ª sessão, Ferrari é a melhor; veja a classificação A primeira corrida de Fórmula 1 no Brasil aconteceu no circuito em 30 de março de 1972. O vencedor foi o argentino Carlos Reutemann, mas o evento não contou pontos para o Campeonato Mundial. O País passou a fazer parte do calendário oficial da FIA somente no ano seguinte, com prova realizada em 11 de fevereiro. A pole position foi do sueco Ronnie Peterson mas, para alegria da torcida nas arquibancadas, a vitória foi do brasileiro Emerson Fittipaldi, com a Lotus, que repetiu a dose no ano seguinte, já defendendo a McLaren. Em 1975, foi a vez do também brasileiro da Brabham José Carlos Pace, ganhar a corrida, que foi realizada no autódromo até 1980. Interlagos passou por uma fase de ostracismo internacional entre 1981 e 1988, fase que o Grande Prêmio do Brasil passou para o Circuito de Jacarepaguá, no Rio. O brasileiro Nelson Piquet conseguiria suas duas vitórias no País nesta pista, em 1983 e 1986.  Em 1989, São Paulo conseguiu reaver os direitos de realização da corrida e o autódromo, que em 1985 havia sido rebatizado de José Carlos Pace, foi reformado. A pista foi reduzida de 7.960 metros para 4.325 metros, ganhou novos boxes e torres de controle para a reestréia em 1990. A pole position da corrida foi de Ayrton Senna, com vitória do francês Alain Prost. Somente no ano seguinte, em 1991, o Autódromo de Interlagos voltaria a ter uma vitória brasileira, com Ayrton Senna pela McLaren. Foi uma conquista inesquecível porque o brasileiro contou com a ajuda da chuva e nas últimas voltas só a sexta marcha - o piloto precisou dominar o carro no braço. Mal conseguiu levantar a taça tal a dor pelo esforço.  A segunda conquista do piloto foi em 1993, um ano antes de sua morte. Se na pista a vitória não teve a dramaticidade da primeira, também não faltou emoção. Após a vitória, o piloto sequer conseguiu dar tradicional volta da vitória com a bandeira brasileira. A torcida invadiu a pista e o brasileiro teve de ser resgatado pelo safety car para chegar ao pódio.  Depois, a torcida brasileira esperou 13 anos até que Felipe Massa quebrasse o tabu no ano passado com a Ferrari e o hino nacional voltasse a ser tocado no pódio, prova que marcou a despedida do heptacampeão Michael Schumacher. A expectativa para 2007 é de que o piloto consiga um repeteco e a bandeira nacional volte a ser hasteada no lugar mais alto do pódio neste domingo.

Tudo o que sabemos sobre:
fórmula 1GP do Brasil

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.