Interlagos muda tradição e escala 'grid boys' para GP do Brasil

Interlagos muda tradição e escala 'grid boys' para GP do Brasil

Meninas também estarão presentes no paddock em Interlagos

CIRO CAMPOS, Estadão Conteúdo

11 de novembro de 2015 | 17h16

A organização do GP do Brasil de Fórmula 1 traz uma novidade inusitada para a prova deste ano em Interlagos. Antes da largada para a corrida neste domingo, a recepção aos pilotos na pista terá pela primeira vez "grid boys" e não apenas "grid girls", como em todas as edições anteriores. A ideia veio da primeira-dama da categoria, a brasileira Fabiana Ecclestone, mulher do chefe da Fórmula 1, Bernie Ecclestone.

"A gente tentou inovar, trazer meninos e meninas para dividirem a função. Queremos fazer algo diferente, para inovar no Brasil. Até então, só Mônaco teve isso", contou Fabiana. Os recepcionistas do grid atuam no domingo minutos antes da largada, quando seguram uma placa para marcar a posição de onde cada piloto vai largar. O grupo de 20 jovens fez o primeiro ensaio da cerimônia na tarde desta quarta-feira.

O GP do Brasil escolheu o grupo em contato com uma agência de modelos. A oportunidade surpreendeu os garotos, já que até 2014 apenas mulheres tinham o direito de exercer a atividade no grid. "A gente não está acostumado com isso. Pode ser uma surpresa para o público feminino, mas acho que os homens que estarão no autódromo não devem gostar, não", comentou o estudante Guilherme Nóbrega, de 24 anos, fã do inglês do Lewis Hamilton.

Apenas na última semana os funcionários do grid foram escolhidos. Todos vão usar um uniforme e terão a oportunidade de ficar perto dos pilotos e dos mecânicos antes dos ajustes finais para a largada. Para Fabiana, a expectativa é ver como os torcedores vão reagir ao ver que agora a turma de recepcionistas é mista. "Por ser uma novidade, queremos ver no domingo o que a arquibancada de Interlagos vai achar".

Tudo o que sabemos sobre:
Fórmula 1GP do BrasilInterlagos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.