Interlagos vai ganhar linha de trem

O governador Geraldo Alckmin e o presidente da FIA, Max Mosley, conversaram nesta segunda-feira, durante 90 minutos, sobre o GP do Brasil de Fórmula 1 de 2005 e um projeto de segurança no trânsito. Mosley confirmou que a corrida será disputada dia 25 de setembro - será a antipenúltima etapa do campeonato - e o governador prometeu esforços para inaugurar, até lá, a estação ?Autódromo?, da linha C (Osasco-Jurubatuba) da CPTM - Companhia Paulista de Trens Urbanos - para facilitar o acesso do público. A linha terá ainda as estações ?Interlagos? e ?Grajaú?.A FIA ofereceu, oficialmente, ao Governo do Estado, cooperação nas campanhas estaduais de segurança nas estradas. Mas, com base nos dados divulgados sobre a redução de acidentes nas rodovias paulistas, também se interessou em passar para outros países o programa do governo Alckmin para reduzir o índice de acidentes. No Brasil, a FIA será representada nesse projeto pela Associação Automobilística do Brasil, presidida por Ivan Fonseca e Silva.Durante a reunião, Mosley defendeu as mudanças de regras na Fórmula 1, argumentando que a categoria ficou muito cara e distante da realidade da indústria automobilística. O dirigente disse que "as mudanças voltarão a aproximar a F-1 da indústria e tornarão o espetáculo mais interessante para o público".O dirigente lembrou ao governador que os carros, hoje, carregam até 100 quilos de lastro para poderem alcançar o peso mínimo exigido pelo regulamento. "Não vejo porque continuar com essa distorção do regulamento". A FIA planeja reduzir o peso mínimo dos carros para 2006.Embora reconheça que Interlagos não é um circuito muito confortável para o público e equipes, o dirigente inglês disse que "o traçado está entre os melhores do mundo e é excelente para testar a habilidade dos pilotos".Alckmin elogiou a corrida e disse que esta foi a primeira vez que esteve em Interlagos como Governador de Estado. Ele entregou o troféu ao vencedor Juan Pablo Montoya, de acordo com o protocolo brasileiro, já que era a principal autoridade do País no circuito.Mosley estava acompanhado do suiço Peter Doggwiler, secretário geral da FIA para o automobilismo não esportivo, responsável pelas campanhas internacionais da entidade sobre educação no trânsito. Mosley seguiu, depois, direto para uma reunião das confederações sul-americanas de automobilismo no Paraguai, em seu jato particular, cujo piloto é Natasha Rindt, filha do ex-campeão mundial de F-1 que morreu em Monza em 1970.

Agencia Estado,

25 de outubro de 2004 | 18h31

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.