Claude Paris/AP
Claude Paris/AP

Investigação: Schumacher esquiava em área de risco de forma 'deliberada'

Ex-piloto estava em uma velocidade normal no momento do acidente

Jamil Chade, Correspondente - O Estado de S.Paulo

08 de janeiro de 2014 | 08h50

GENEBRA - Depois de dez dias de rumores e polêmicas, os primeiros resultados da investigação sobre o acidente que sofreu Michael Schumacher em uma pista de esqui na França apontam que a velocidade que o ex-piloto andava era normal e não está sendo considerado como um "elemento determinante" no caso. Mas o local onde ele estava havia sido sinalizado de forma correta como sendo uma área de risco e Schumacher teria passado pelas balizas que mostram que ele entrava numa região fora da pista regular.

Segundo a Justiça, o alemão entrou de forma "deliberada" na zona de risco da pista. Nesse local, ele bateu com seus esquis numa pedra, perdeu o equilíbrio e caiu de cara na neve. O problema é que a camada de neve era reduzida e o choque acabou ocorrendo diretamente contra uma pedra. Segundo a polícia, ele vinha em uma velocidade "normal" para a qualidade de esquiador que Schumacher seria.

Os dados foram revelados depois da análise do vídeo que acabou sendo gravado a partir da câmera que estava no capacete de Schumacher. A versão confirma o que a família vinha indicando nos últimos dias e contradiz a versão inicial dos médicos de Grenoble de que Schumacher vinha a "grande velocidade".

Em uma coletiva de imprensa em Albertville, a Justiça admitiu que falta ainda determinar exatamente a velocidade que Schumacher esquiava. Os dados foram coletados pelo procurador da República francesa, Patrick Quincy, responsável pela investigação. Segundo ele, vários depoimentos foram coletados, esqui e capacete foram avaliados. "A velocidade não é um elemento especialmente importante para nós", disse.

Mas a investigação aponta também que o vídeo mostra que ele não reduziu de forma dramática sua velocidade na área de risco.

GAROTA

Nos dois minutos de vídeo, não existe qualquer sinal de que o alemão foi resgatar uma garota, como a família havia comunicado. O filme dura dois minutos e, nesse período, não há sinal de que ele resgatou alguém.

A câmera capta toda a sequência da queda. Num primeiro momento, ele bateu em uma pedra que estava escondida sob a neve. Schumacher perde o equilíbrio, perde seus esquis e cai de cara na neve. Decisão de fazer revelações tem como meta, segundo o procurador, de "acabar com rumores".

Outra constatação é de que Schumacher sofreu sua queda entre duas pistas regulares, no que é conhecido no jargão do esporte como "off-piste", local de grande risco e onde a estação de esqui não se responsabiliza. No momento da queda, ele estava 9 metros da pista de esqui.

RESPONSABILIDADE

Os investigadores também apontam que o local onde o alemão esquiava estava sinalizado como sendo de risco. Nos primeiros dias depois do acidente, a estação revelou aos investigadores que sinalizadores haviam sido colocados na área. Os esquis também não seriam os responsáveis pela queda.

A cada temporada de esqui, cerca de 50 investigações são realizadas sobre quedas, acidentes e até mortes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.