IRL muda para correr em circuito misto

A Indy Racing League está pronta para sua estréia em circuitos mistos. No próximo domingo, às 17h30 (transmissão ao vivo pela BandSports), a IRL correrá nas ruas de St. Petersburg, Flórida, depois de nove temporadas só em circuitos ovais. O campeão do ano passado, Tony Kanaan, foi o mais rápido no último teste antes da prova, nesta quarta-feira, em Sebring (53s68 - cronometragem da Andretti já que não era teste oficial). "Entre os pilotos favoritos só um deve estar preocupado com o traçado de rua. O americano Sam Hornish Jr. nunca andou em traçados mistos", disse Kanaan. Para sair do oval e correr no misto, os monopostos da IRL terão que ser readaptados. Toda o jogo de suspensão é diferente assim como os amortecedores e componentes aerodinâmicos. Há também a exigência de um diferencial para trabalhar as rodas nas curvas mais fechadas. No oval, como as duas rodas traseiras trabalham juntas, o diferencial não é necessário.Kanaan julga que as corridas no misto - serão três este ano (St.Petersburg, Sonoma e Watkins Glen) - não deverão alterar a relação de forças para a disputa do título. Ao contrário dos anos anteriores, a IRL tem hoje duas equipes que se destacam das demais: a sua própria escuderia, a Andretti Green, e a Penske. "É verdade. Estas duas equipes estão na frente. Acredito que a Rahal (dos pilotos Vitor Meira e Buddy Rice) pode aparecer bem em uma outra corrida. Mas a luta pelo título deverá ficar mesmo entre a Andretti e a Penske".Na prática isso significa que serão seis pilotos com chances. A Andretti Green, além de Kanaan, conta com o escocês Dario Franchitti, o americano Bryan Herta e com o inglês Dan Wheldon, que venceu a corrida de abertura em Homestead; a Penske conta com a dupla Hélio Castro Neves e Sam Hornish Jr. "Estou prevendo um campeonato muito duro. E ainda por cima estou na mira de todos. Mas, nestas duas primeiras corridas, mantive meu ritmo", diz Kanaan que ocupa o terceiro lugar do campeonato ao lado de Helinho com 70 pontos. O líder é Sam Hornish Jr. com 90 enquanto Wheldon é o 2º com 84. Em 2004, quando tornou-se o primeiro brasileiro a vencer um campeonato da IRL, Tony ganhou três corridas. "Minha meta é superar esta marca. Acho que tenho equipamento para isso".Triatlo - Tony Kanaan no intervalo das corridas e testes descobriu outra paixão: o triatlo. O piloto pertence agora ao Miami Triathlon Team e treina diariamente. Por semana, Tony pedala 550 quilômetros, nada 15 quilômetros e corre 20 quilômetros. "Eu vou melhor na bicicleta", explica.Sua estréia em uma competição oficial será dia 7 de agosto em Key Biscayne. Segundo o técnico da equipe, dos 800 participantes, Kanaan terá condições de ficar entre os 50 melhores. Este ano, no segundo semestre, ele também pretende disputar uma prova no Brasil. "Não estou preocupado com vitórias. Por enquanto. Mas estou gostando muito disso. E ganhando um condicionamento físico fantástico", explica.A Andretti, com quatro pilotos, trabalha em período integral e Tony julga que o entrosamento está melhor do que no ano passado. "Estamos trocando informações, fazendo testes conjuntos e buscando o aperfeiçoamento do carro. Mas na pista é cada um para si".Ao contrário da Fórmula 1, na IRL não há espaço para jogo de equipe, já que cada carro tem um patrocinador diferente. O de Kanaan é a rede de lojas de conveniência 7 Eleven; o bourbon Jean Bean tem sua logomarca no carro de Wheldon; a Arca-Ex está no Dallara/Honda de Dario Franchitti e a XM-Satellite patrocina Bryan Herta. Tony garante: "O equipamento dos quatro pilotos é o mesmo. Portanto todos têm chances de conquistar o título".Tony prevê também uma luta equilibrada entre as duas fábricas de motores, a Honda e a Toyota. Cada uma ganhou uma corrida até agora. "As duas fábricas já estão trabalhando também pensando em Indianápolis. Este ano os carros estarão com aerodinâmica diferente e haverá menos treinos. A coisa vai mudar. Não dá para apostar quem vai chegar na frente". No ano passado, a Honda dominou o campeonato com tranqüilidade. A Toyota reagiu no final e venceu a última corrida de 2004, no Texas Motor Speedway, com Helinho Castro Neves.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.