Italiano será o chefe da equipe corintiana nas pistas

Antonio Ferrari será o dono do time que utilizará o escudo da equipe alvinegra, se a categoria sair do papel

Erica Akie, Jornal da Tarde

26 de fevereiro de 2008 | 09h18

Dois grandes clubes do futebol brasileiro, Corinthians e Flamengo, disputarão a Fórmula Superliga, uma nova categoria do automobilismo que começará em agosto. Serão seis etapas, todas na Europa, e 11 equipes participantes. E o responsável por comandar a escuderia corintiana será o italiano Antonio Ferrari. Dono da equipe Euro International, Antonio Ferrari tem carros disputando as fórmulas BMW norte-americana e alemã, World Series e Atlantic. E já conhece a escola brasileira de pilotagem, tanto que uma de suas apostas é o piloto Giancarlo Vilarinho, de 15 anos, que corre para ele na BMW dos Estados Unidos. "O Antonio é um cara muito paciente. Já conversei muito com ele tanto sobre a parte técnica do carro quanto sobre como devo me preparar para as corridas. Ele é muito experiente, tem muitos anos no automobilismo e em várias categorias", elogiou Giancarlo, ao falar sobre o chefe.Antonio Ferrari diz que escolheu o Corinthians por conta da sua paixão pela Juventus, de Turim. "Vi uma lista com os times de futebol e escolhi um clube brasileiro porque já tive bom contato com bons pilotos daí. Além disso, o Corinthians tem as cores do meu time, a Juventus, e também era o time para qual o Ayrton Senna torcia", explicou.Em 2000, o italiano disse que surgiu pela primeira vez a idéia de fazer uma competição de automobilismo com times de futebol. "Era a Premier 1", lembrou. Ele se interessou pelo assunto, foi atrás da organização, mas o campeonato não saiu do papel. Assim que soube da idéia da Fórmula Superliga, Antonio Ferrari correu para se oferecer aos promotores para cuidar de uma equipe.Antonio Ferrari chega na quarta-feira ao Brasil e apresentará o carro na sexta, em evento no Parque São Jorge. "Estou sabendo que o time está na Série B do Campeonato Brasileiro. Mas pode avisar aí que na pista teremos condições de sermos muito fortes. Pela minha experiência, coloco minha equipe entre as favoritas", avisou o dirigente italiano.Para entrar no clima com a torcida corintiana, o chefão da equipe vai assistir ao clássico contra o Palmeiras, domingo, no Morumbi. "A história do time eu procurei saber. Li bastante coisa, mas ainda não conheço os jogadores", admitiu Antonio Ferrari.Antes do automobilismo, a paixão do italiano era o futebol. "Joguei no Frosinone (que hoje está na Série B da Itália) com a camisa 10 até os 18 anos, quando me machuquei e parei de jogar", revelou Antonio Ferrari.Segundo ele, os nomes dos pilotos - um titular e um reserva - ainda não foram definidos. Antonio Ferrari dará prioridade aos seus pilotos da Atlantic, o canadense Daniel Morad e o italiano Eduardo Piscopo. "Mas também vamos convidar brasileiros, como Bruno Senna e Xandynho Negrão, para os testes", prometeu.CATEGORIA O Corinthians não desembolsará nada para ser representado na Fórmula Superliga - e ainda ganhará US$ 1 milhão (cerca de R$ 1,7 milhão) dos organizadores do evento apenas para ceder o nome à equipe. "Estamos confiando muito no projeto e que a equipe dará bons resultados. Também espero que venha esse dinheiro que foi prometido", disse o vice-presidente de marketing do clube, Luís Paulo Rosenberg.O Flamengo também terá uma equipe na competição (o Brasil será o único país com dois times). Os outros participantes serão Milan (Itália), Anderlecht (Bélgica), Borussia Dortmund (Alemanha), Basel (Suíça), Galatasaray (Turquia), PSV Eindhoven (Holanda), Sevilla (Espanha), Porto (Portugal) e Olympiacos (Grécia).

Tudo o que sabemos sobre:
Fórmula SuperligaCorinthians

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.