JF Diorio/Estadão
JF Diorio/Estadão

Jacques Villeneuve defende provas na Fórmula 1 em 2020, mas não campeonato

'Talvez seja melhor dizer: 'Não haverá campeonato', sugere campeão da categoria de 1997

Redação, Estadão Conteúdo

04 de abril de 2020 | 15h26

Campeão mundial em 1997, o canadense Jacques Villeneuve defende a tese de que a temporada de 2020 da Fórmula 1 não deva ser considerada um campeonato por causa das várias provas canceladas e adiadas devido à pandemia do coronavírus.

"Mesmo que o mundo se abra e possamos ter um campeonato após a pandemia, leva tempo para organizar um evento", disse o filho do lendário Giles Villeneuve. "O primeiro GP do calendário deve ocorrer em setembro. Eu imagino que as várias organizações e os proprietários da Fórmula 1 vão querer realizar a quantidade máxima de corridas para cumprir os requisitos mínimos de seus contratos, mas isso seria um erro."

Ao mesmo tempo, Villeneuve aponta os interesses comerciais como um bom motivo para que os carros entrem na pista este ano. "Talvez seja melhor dizer: 'Não haverá campeonato. Competiremos e cada corrida será um evento único, como a Indy 500 ou as 24 Horas de Le Mans'. Também permitiria que as equipes usassem o final de 2020 para se preparar para 2021."

Villeneuve, de 48 anos, competiu na F-1 de 1996 a 2006. Ele dirigiu os carros da Williams, BAR, Renault, Sauber e BMW Sauber. Disputou 165 provas, com 11 vitórias, 23 pódios e 12 pole positions.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.