Jaguar de olho nos ?magos? da Williams

A equipe que mais evoluiu no Mundial que acabou domingo, no Japão, a Williams-BMW, pode sofrer um duro golpe nas suas pretensões de disputar os títulos de pilotos e de construtores em 2002. Os dois engenheiros responsáveis pelo bom projeto deste ano, Gavin Fisher e Geoff Willis, podem se transferir para a Jaguar. A direção do time da Ford, depois de não conseguir tirar Adrian Newey da McLaren, fez um convite "irrecusável" para a dupla. Frank Williams admitiu que seria uma perda "desastrosa" para a sua organização.Niki Lauda, diretor da Jaguar, já compreendeu que sem técnicos de comprovada capacidade para desenhar os carros, a equipe não irá obter os resultados esperados, por mais que se invista em todas as demais áreas, como está fazendo a Ford na Jaguar.Depois de perder Adrian Newey para a McLaren, no fim de 1996, Frank Williams aproveitou os dois anos de transição, antes da chegada da BMW, para "amadurecer" dois engenheiros do grupo que trabalhavam com seu ex-diretor-técnico. Fisher, responsável pela concepção mecânica, e Willis, a aerodinâmica, aprenderam bastante em 1998, 1999 e no ano passado. O eficiente modelo FW23 da temporada que acabou domingo é o fruto dessa evolução da dupla.A Jaguar não dispõe mais de nenhum período de transição, como ocorreu com a Williams, nos dois campeonatos que competiu com o motor Supertec, 1998 e 1999, aguardando a BMW. "Perdemos dois anos", avaliou Eddie Irvine, principal piloto da Jaguar, antes do GP do Japão, referindo-se a 2000 e 2001, período de existência da equipe. Na realidade, a Jaguar revelou um especialista em aerodinâmica, Mark Handford. Tudo o que ele produziu de novidade no modelo deste ano, R2, deu certo."Eles têm contratos de longo prazo conosco e não podem nos deixar amanhã", disse Frank Williams à revista inglesa Autosport, onde surgiu a informação da possível transferência de Fisher e Willis para a Jaguar. Ao contrário do que declarou seguidamente quando Newey deixou a Williams, Frank desta vez assumiu que seria muito ruim para o seu time."Na realidade, desastroso para nós. Não conseguiríamos manter nosso ritmo de crescimento." Curiosamente, Willis é quem mais estaria próximo de trocar a Williams pela Jaguar, e aerodinâmica não é mais o ponto mais fraco do time com a chegada de Handford.Prost - O campeão do mundo de 1985, 1986, 1989 e 1993, hoje sócio da Prost Grand Prix, reuniu-se nesta quarta-feira com a ministra das Juventude e dos Esportes da França, Marie-George Buffet, para discutir os graves problemas financeiros enfrentados por sua equipe. "Não vim pedir dinheiro", afirmou o ex-piloto, imaginando que as pessoas fossem acreditar nele. A imagem de Prost como administrador é bastante ruim em seu país.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.